EUA: Tecnológicas contra alterações ao programa de vistos temporários H-1B

(DR)

O decreto presidencial de Donald Trump que dá ordem para rever o programa de vistos temporários H-1B, muito utilizado pelas empresas tecnológicas e pelas universidades está naturalmente a causar preocupação em Silicon Valley e nos estabelecimentos de ensino.

Mais de 160 companhias norte-americanas, quase todas do setor tecnológico e entre as quais estão Amazon, Google, Facebook e Microsoft, já criticaram a ordem do presidente. Os estudantes estrangeiros estão preocupados:

“Estou muito nervoso com o que está a acontecer e não sei o que é que vai acontecer no futuro. Quando alguém deixa uma empresa, deixa o seu país, vem com um plano na cabeça e nunca pensa que algo assim possa acontecer”, tenta explicar atabalhoadamente um aluno de informática, originário da Índia, o país que fornece o maior número de pessoas ao programa de vistos.

Para além de Silicon Valey, serão as universidades as mais afetadas pelas potenciais alterações das regras. A Universidade Estatal da Califórnia recebe cerca de 2700 alunos estrangeiros por ano. O diretor do curso de engenharia, Forouzan Golshani, avisa que, se perder o acesso aos vistos temporários para preencher as vagas, terá “de procurar por soluções radicais”.

A Casa Branca quer que os vistos temporários para estudantes e trabalhadores altamente qualificados passem a ser atribuídos por mérito e não por sorteio. Trump alega que muitos abusam do sistema para contratarem estrangeiros por um valor abaixo do que teriam de pagar a um americano. (Euronews)

DEIXE UMA RESPOSTA