Coreia do Norte lança o aviso aos EUA: “Não se metam connosco”

“Quanto mais pressões militares, ameaças e sanções irracionais realizarem, mais colocam em perigo a sua difícil situação”, afirmou o portal de Pyongyang (ED JONES/AFP/Getty Images)

A Coreia do Norte acusou esta quinta-feira os EUA de tentarem aumentar a tensão na península coreana com a visita do vice-Presidente, Mike Pence, a Seul.

A Coreia do Norte acusou esta quinta-feira os Estados Unidos de tentarem aumentar a tensão na península coreana com a visita do vice-Presidente a Seul que aconselhou Pyongyang a não testar a determinação de Washington. Os meios de comunicação norte-coreanos fizeram pela primeira vez eco da visita de Mike Pence e da reunião com o Presidente sul-coreano em exercício, Hwang Kyo-anh, num texto publicado no portal de propaganda norte-coreano Uriminzokkiri.

No texto, os EUA são acusados de “terem perdido a noção da situação e o juízo”, ao quererem avivar o sentimento anti-coreano.

O novo Governo (de Donald Trump) está no caminho certo para aumentar ainda mais as tensões militares de forma imprudente, ao mesmo tempo que prejudica o regime mediante políticas hostis” e lança uma “campanha provocatória e agressiva”.

O caso do USS Carl Vinson

A Coreia do Norte deu como exemplo o anúncio do envio de um porta-aviões nuclear norte-americano e frota de ataque para águas próximas da península coreana e o apelo do “número dois” da Casa Branca para aumentar a pressão internacional e agravar as sanções ao regime.

Como o Observador explicou, a frota que teria sido enviada ía, afinal, no sentido contrário quando os oficiais americanos e Trump lançaram o aviso, e só esta semana se deslocava finalmente para o Pacífico Oeste. O vice-Presidente Pence ameaçou Pyongyang, ao dizer que a administração Trump pode fazer uso da determinação exibida nos ataques na Síria e Afeganistão, perante os persistentes testes de armamento, numa conferência de imprensa após o encontro com Hwang, na segunda-feira. (Observador)

por Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA