Ucrânia “pisca o olho” à banana angolana

(Foto: D.R.)

Câmara de Comércio de Angola e a congénere ucraniana estão a trabalhar no fortalecimento das relações para que os empresários dos dois países possam desenvolver acções nos sectores da agro-indústria.

O presidente da Câmara de Comércio e Indústria da Ucrânia, Sergii Sv ystil, disse recentemente em Luanda que o seu país está interessado em importar banana de origem angolana. Sergii Svystil fez estas declarações durante o encontro que manteve com o secretário-geral da Câmara de Comércio e Indústria de Angola, António Tiago Gomes.

Sergii Svystil assegurou que numa primeira fase o seu país pode vir a importar de Angola banana e vender para o mercado angolano frango e derivados. O responsável, que se fez acompanhar pelo representante da maior empresa de produção de frangos da Europa (MT-MHP), explicou que, além da importação da banana, o seu país está igualmente interessado em cooperar com os empresários angolanos nos sectores da Agricultura, Agro-indústria, Construção Civil, Comércio e Transportes.

Neste último, o destaque recai para a comercialização de embarcações de grande e pequeno porte. Para o responsável, a posição estratégica que Angola ocupa a nível do continente pode vir a facilitar a inserção dos produtos ucranianos na África Austral.

Lembrou que a Câmara de Comércio que dirige conta com mais de cem mil empresários dos quais, 15 por cento são importadores. Durante o encontro, assegurou que o seu país controla 35 por cento da economia da antiga União Soviética.

Por sua vez, o secretário-geral da Câmara de Comércio e Indústria de Angola, António Tiago Gomes, afirmou que as parcerias são bem-vindas, pois, vão contribuir para a dinamização da economia do país, bem como para atracção de divisas com a exportação.

António Tiago Gomes lembrou que o actual contexto económico do país exige dos seus governantes e empresários, visão e capacidade de fazer parcerias que concorrem para o bem-estar dos angolanos.

Segundo contou, o organismo que dirige controla perto de mil empresas públicas e privadas, nos diferentes sectores da economia nacional e que estão dispostas em cooperar com a Ucrânia e trazer valor acrescentado para os dois países.

Já o presidente do Conselho da Associação de Empresários de Angola, João Gomes, afirmou que este tipo de parceria constitui uma mais-valia, visto que vai ajudar o país e os respectivos empresários a aumentarem as opções de mercado.

Empresários Por sua vez, os empresários angolanos que participaram do encontro mostraram-se optimistas quanto as propostas de negócio discutidas no encontro e mostram-se disponíveis em firmar novas parcerias de negócio com homólogos ucranianos.

Já o empresário Dmitry Los, a empresa que dirige tem uma capacidade de produção estimada em 600 mil toneladas de carne de frango/ano. Inicialmente, a empresa pretende conhecer o mercado angolano e nos próximos cinco anos criar uma empresa de direito angolano para melhor contribuir no crescimento económico do país.

A primeira embaixada da Ucrânia num país lusófono começou a funcionar em Luanda, em 2004 e, um ano depois, o embaixador Volodymyr Lakomov entregou as cartas de acreditação ao Presidente angolano, José Eduardo dos Santos.

Com a crise económica e financeira mundial de 2009, as autoridades ucranianas haviam decidido reduzir o seu pessoal, retirando na altura dois funcionários e o então embaixador Volodymyr Lakomov.

Entretanto, actualmente a comunidade ucraniana em Angola divide-se em dois grandes grupos: os especialistas que trabalham no país sob contractos duradouros e os membros das famílias mistas que foram constituídas entre as cidadãs ucranianas e os angolanos que estudaram na Ucrânia. (jornaldeeconomia)

DEIXE UMA RESPOSTA