Suspensos protestos de empresários da diversão em Lisboa

(Sapo 24)

Os protestos dos empresários da diversão itinerante marcados para os próximos dias em Lisboa foram suspensos por tempo indeterminado, adiantou hoje à agência Lusa o presidente da associação de proprietários de equipamentos.

“Nós suspendemos o protesto porque decidimos rumar à Póvoa de Lanhoso [distrito de Braga] para dar apoio aos empresários que estão muito revoltados com o senhor presidente da Câmara, que, uma vez que não foram instalados carrosséis nas festas, decidiu contratar insufláveis”, explicou o presidente da Associação Portuguesa de Empresas de Diversão (APED).

Luís Paulo Fernandes indicou que a edição 2017 das Festas Concelhias de Póvoa de Lanhoso “não vai ter carrosséis”, porque a câmara “não quis” ajudar os empresários a pagar as taxas.

Segundo o presidente da associação, a APED decidiu acionar um fundo monetário que tem no banco para “ressarcir” os seus associados dos prejuízos decorrentes da ausência nas festas.

“Por isso, decidimos suspender o protesto em Lisboa e rumar à Póvoa de Lanhoso para dar apoio aos empresários e tentar acalmar os ânimos”, disse.

Luís Paulo Fernandes referiu ainda que decidiram também suspender a concentração em Lisboa porque durante o protesto que decorreu na quinta-feira foram recebidos por assessores do primeiro-ministro, António Costa.

“Transmitimos as nossas reivindicações aos assessores do primeiro-ministro e ficamos agora a aguardar respostas”, disse.

Na quinta-feira, cerca de meia centena de empresários da diversão itinerante estiveram concentrados junto à Presidência do Conselho de Ministros, em Lisboa, num protesto para reivindicar medidas de apoio ao setor e que incluiu concentrações noutros locais da capital.

As iniciativas de protesto agendadas, que incluem manifestações, marchas lentas e desfiles, deveriam decorrer até 25 de março, mas estão agora suspensas.

Para hoje estavam previstas concentrações junto ao parlamento, às sedes dos partidos com assento parlamentar e aos ministérios das Finanças e da Administração Interna. (Sapo 24)

DEIXE UMA RESPOSTA