Papa Francisco pede perdão a Deus por falhas da igreja durante genocídio no Ruanda

(Foto: Tony Gentile/ AP)

Massacre deixou mais de 800 mil mortos em 1994. Declaração foi dada durante encontro com o presidente do país africano nesta segunda.

O Papa Francisco pediu perdão a Deus por “pecados e falhas” da igreja católica cometidos durante genocídio no Ruanda, que deixou mais de 800 mil mortos em 1994. A declaração foi feita durante o encontro que o responsável máximo da igreja católica manteve com o presidente do Ruanda, Paul Kagame, no Vaticano, na segunda-feira (20).
“Imploro o perdão a Deus pelos pecados e faltas da Igreja e de seus membros, entre eles padres, religiosos e religiosas, que cederam ao ódio e à violência, traíram sua missão evangélica”, afirmou o pontífice, segundo a France Presse.
O genocídio, termo adoptado depois de vários debates na ONU, foi um dos episódios mais sangrentos da segunda metade do século XX, e afectou quase um terço da população do centro da África.
A matança de tutsis, etnia minoritária do Ruanda, começou a ser organizada poucos anos antes pelo governo de maioria hutu. O pretexto foi a morte do presidente Juvenal Habyarimana, quando o seu avião ‘abatido’, desconhecendo-se até hoje as causas. Com a morte de Juvenal Habyarimana, os radicais do governo se apropriaram da administração e eliminaram opositores. A ‘extinção’ tutsi tornou-se política de Estado, em campanhas promovidas em rádios e televisão.
A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que mais de 800 mil pessoas morreram no massacre.

DEIXE UMA RESPOSTA