Morre Derek Walcott, poeta caribenho e Nobel de Literatura

O prêmio Nobel de Literatura em 1992, Derek Walcott, em Caracas, no dia 10 de maio de 2007 (Afp)

O poeta e dramaturgo Derek Walcoot, Prémio Nobel de Literatura em 1992, morreu nesta sexta-feira(17) em Santa Lúcia aos 87 anos após passar um longo período doente, informou seu editor.

“Derek Walcott morreu esta manhã”, declarou em um comunicado a editora Farrar, Straus e Giroux. “Já fazia algum tempo que ele lutava contra uma doença”.

Walcott, que publicou o seu primeiro conjunto de poemas aos 19 anos, começou a se tornar conhecido somente em 1962, quando lançou “In a Green Night”, reunião de textos escritos por ele entre os anos de 1948 e 1960.

A partir de então o autor se tornou muito produtivo, e publicou aproximadamente 20 livros de poesia e dezenas de peças de teatro.

Sua antologia mais conhecida é “Omeros”, publicada em 1990 e inspirada na “Ilíada” e na “Odisseia” de Homero.

Após ganhar o Prémio Nobel de Literatura em 1992, continuou sendo um autor pouco conhecido, ainda que valorizado por seus colegas literatos.

Em 70 anos de carreira, Derek Walcott nunca publicou um romance.

“Até meu vigésimo ano escrevi o pior romance que poderia ser escrito. Foi uma bênção que o manuscrito tenha sido perdido”, declarou em entrevista ao jornal francês Le Figaro pouco depois do anúncio do seu Nobel.

A ilha caribenha de Santa Lúcia, que conta com apenas 164.000 habitantes, possui dois Prémios Nobel, Walcott e Arthur Lewis (1915-1991), reconhecido com o Nobel de Economia em 1979. (AFP)

DEIXE UMA RESPOSTA