Incerteza na RDC: A principal figura da oposição rejeita sentar-se com o governo

(Arquivo) Bispos membros da Conferência Episcopal Nacional Congolesa (CENCO) (AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS)

A Igreja católica voltou à mesa de negociações com o governo e a oposição para desbloquear o impasse político que se regista naquele país. Um alto funcionário do principal partido da oposição da RDC saiu das negociações e agudizou ainda mais as relações entre o governo e os partidos na oposição.

Jean-Marc Kabund, secretário-geral da União para a Democracia e o Progresso Social ( UDPS ), denominou o diálogo como “uma grande piada”.

As negociações foram suspensas após a morte do líder da oposição Etienne Tshisekedi em 1 de Fevereiro, e foram retomadas após o seu funeral, que também enfrentou atrasos.

Jean-Marc argumenta que a maioria presidencial está demostrando má-fé, e criou obstáculos para atrasar a implementação de um acordo de mútuo, acordado na véspera do ano novo.

O presidente Joseph Kabila, a princípio, deverá renunciar a presidência depois das eleições que devem ser realizadas antes do final deste ano, de acordo com o que foi prometido em negociações anteriores.

Estas contratempos no diálogo ‘azedo’ que mergulha os políticos do Congo Democrático, coloca o país num mar de incerteza, acrescentando o índice de violência que sobe a cada dia.

A ONU está a tentar reforçar a sua missão de manutenção de paz na RDC, uma vez que as tensões provocadas pelas longas e demoradas eleições fizeram com que a violência se espalhasse para novas áreas. (Africanews/Portal de Angola)

DEIXE UMA RESPOSTA