Discoteca Luanda: Amigos juram vingança por homicídio na noite

(CM)

Ambiente tenso no bairro da Quinta da Fonte com a morte tiro de Aylton Tavares, junto a discoteca.

O ambiente é de tensão no bairro da Quinta da Fonte, na Apelação, Loures. A morte a tiro de Aylton Tavares, de 25 anos, no domingo de madrugada à porta da discoteca Luanda, em Lisboa, está a desencadear uma onda de ameaças nas redes sociais. “O destino está à vossa espera”, avisam alguns amigos de Aylton, que deixa órfã uma menina de apenas um ano.

“Que o destino seja nas nossas mãos. A vingança será feita”, é outra das ameaças por parte dos amigos de Aylton Tavares. Ainda ninguém foi preso pelo homicídio e no local do crime não foi encontrada qualquer arma de fogo. Aylton estava com dois amigos, igualmente atingidos a tiro, pelas 06h30, mas apenas de raspão. Deram entrada no hospital de Santa Maria, em Lisboa, mas estão livres de perigo. VIDEONovas imagens mostram pânico à porta da discoteca Luanda Discoteca é palco habitual de violência. Disseram que nada tinham a ver com a situação e que tinham sido apanhados no meio de uma confusão, mas a PJ investiga um eventual ajuste de contas entre dois grupos rivais. Por apurar estão ainda as circunstâncias da morte de um amigo de Aylton, encontrado com um braço decepado na Quinta da Fonte. José Borges, de 18 anos, esteve também na discoteca Luanda. (Correio da Manhã)

por Magali Pinto

DEIXE UMA RESPOSTA