Director da NSA diz que acusar britânicos de espionagem é ‘insensato’

President Donald Trump and German Chancellor Angela Merkel participate in a joint news conference in the East Room of the White House in Washington, Friday, March 17, 2017. (AP Photo/Pablo Martinez Monsivais)

O número dois da Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos considerou neste Sábado, 18 de Março, “totalmente insensatas” as acusações de espionagem contra o Reino Unido, feitas na Quinta-feira pela administração Trump.

As acusações surgiram quando o ex-juiz Andrew Napolitano, comentarista habitual na Fox News,afirmou no início da semana nesta mesma rede de televisão que Barack Obama havia recorrido à agência de espionagem britânica GCHQ para grampear as linhas telefónicas da Torre Trump, residência de Donald Trump.

A afirmação foi transmitida pelo porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, e posteriormente evocada pelo próprio Donald Trump, que não a desmentiu.

Segundo Rick Ledgett, director-adjunto da NSA – agência encarregada de interceptar as comunicações electrónicas -, lançar ou repetir tais acusações demonstra “uma incompreensão total do modo como nossas relações funcionam” com o Reino Unido, explicou durante uma entrevista à BBC.

“Evidentemente (os britânicos) não fariam isso”, insistiu. “Seria muito estúpido”.

A rede Fox News indicou na Sexta-feira, 17, que não estava em condições de confirmar as acusações de Andrew Napolitano.

“A nossa missão nos serviços de inteligência é apolítica” e consiste em “dizer a verdade aos dirigentes”, afirmou Rick Ledgett.

O Presidente dos Estados Unidos acusou no início de Março seu antecessor de ter ordenado escutas nos seus telefones antes da eleição presidencial, embora não tenha fornecido nenhuma prova desta afirmação. (AFP)

DEIXE UMA RESPOSTA