Controverso tweeter na África do Sul compromete futuro de líder política

Vista Aérea da Cidade do Cabo (Foto: pinterest.com)

O futuro político de uma das mais poderosas mulheres políticas da África do Sul está comprometido após críticas suscitadas pelo seu tweeter que aprova o colonialismo.

Primeira-ministra da província do Cabo Ocidental e ex-líder do partido da oposição oficial, a Aliança Democrática (DA), Helen Zille, vai ser objecto de medidas disciplinares pelo seu comportamento.

Esta notícia foi confirmada pelo actual líder deste partido, Msumi Maimane, que declarou que os seus comentários eram « inaceitáveis ». “Enquanto Sul-africano, eu condeno-os. Estas declarações são indefensáveis » , declarou Maimane, numa entrevista à rádio nacional.

O tweeter de Zille diz que « aos que afirmam que o legado do colonialismo só foi negativo, pensem na independência do nosso sistema judicial, nas infraestruturas de transporte, nas canalizações etc… ». Ela apresentou depois as suas desculpas.

Zille é uma antiga jornalista que revelou a verdade sobre o desaparecimento do líder do movimento da Consciência Negra, Steve Biko, no fim dos anos 70, e militou igualmente em Black Sash e em outras organizações anti-apartheid nos anos 80.

Esta ex-presidente da Câmara Municipal do Cabo venceu o prémio do World Mayor of the Year de 2008 em 820 candidatos.

Há dois anos, a deputada da DA, Dianne Kohler Barnard foi objecto de sanções disciplinares no seu partido depois de partilhar na página Facebook um post que saudou o Presidente da era de Apartheid, P.W. Botha. (PANA)

DEIXE UMA RESPOSTA