Cabinda: Delegado do Minint pede maior responsabilidade

Comissário Eusébio Domingos e Costa - Delegado do Minint em Cabinda (Foto: Angop)

O delegado provincial do Ministério do Interior (Minint) em Cabinda, comissário Eusébio Domingos e Costa, apelou aos efectivos dos Serviços Prisionais para que actuem com elevado sentido de responsabilidade na protecção e garantia das unidades prisionais.

O comissário Eusébio Domingos e Costa falava hoje (segunda-feira) durante o acto que assinalou o 38º aniversário do Serviço Penitenciário, na Cadeia Civil de Cabinda, tendo sublinhado que esta nobre missão de proteção e garantia da população penal deve ser exercido com determinação e espírito de missão.

Referiu que, em Cabinda, “‘tivemos momentos de reforço da disciplina e organização que não foram bem-sucedidos em alguns momentos com erros que mancharam a corporação”.

Por este motivo, salientou que “deve haver maior empenho e sentido de responsabilidade e dedicação para que a nossa missão de proteger e garantir a população penal seja exercido com sucessos”.

Sublinhou, por outro lado, que a província conta com três unidades prisionais (cadeias), sendo a principal a do Yabi, seguida da cadeia Civil e a nova em obras localizada no município de Cacongo, cerca de 46 kms a Norte de Cabinda.

“Estamos a trabalhar para a conclusão das obras da cadeia de Cacongo cujo objetivos é continuarmos a garantir, à população penal, uma acomodação condigna e humanizada, promovendo programas de reeducação dos reclusos para que quando saírem possam ser integrados na sociedade sem sobressaltos”, disse.

Por seu turno, o director dos Serviço Prisional em Cabinda, comissário penitenciário Júlio César Correia Neto, indicou que a actual população penal existentes nas duas principais unidades prisionais (Yabi e Cadeia Civil), das três existentes, é de 333 reclusos, sendo 155 detidos e 178 condenados, dos quais 116 são cidadãos da República Democrática do Congo.

Destacou a existência de vários programas de reeducação dos reclusos, com destaque para o fomento da prática da agricultura no município de Cacongo, onde já existentem campos preparados para o cultivo de variedades de espécies de mandioca, batata e banana, bem como de horticulturas para garantir no futuro uma autosuficiência alimentar dos reclusos com os excedentes a serem dirigidos aos mercados locais.

O acto contou com a presença de membros dos conselhos consultivos do Minint e do Comando Provincial da Polícia Nacional, bem como a entrega de certificados aos efectivos destacados do Serviço Prisional ao nível da província. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA