Responsável da CNE realça papel da PN no êxito do processo eleitoral

Júlia Ferreira - Entrega Diploma a um agente destacado da Polícia Nacional (Foto: Lino Guimaraes)

A porta-voz da Comissão Nacional Eleitoral (CNE), Júlia Ferreira, declarou nesta segunda-feira, em Luanda, que a Polícia Nacional tem responsabilidades acrescidas para o êxito do processo eleitoral nas suas diferentes fases.

Ao falar numa palestra sobre o comportamento a adoptar pelas forças policiais antes, durante e após o pleito eleitoral, enquadrada nas festividades do 41º aniversário da PN, a assinalar-se na terça-feira (28), disse que cabe a corporação assegurar a protecção da integridade física dos outros agentes eleitorais.

Segundo Júlia Ferreira, a PN tem ainda responsabilidade acrescida no asseguramento da transportação da logística eleitoral, na guarda de todo o material eleitoral sensível e não sensível, bem como na protecção das assembleias de voto.

Revelou que as obrigações que a lei atribui à Polícia Nacional não decorrem apenas para a realização de uma acção num único dia.

Com efeito, notou que a complexidade de um processo eleitoral passa também por uma acção preparatória das forças da ordem.

E essa acção preparatória, disse a fonte, tem que ser vista com base numa série de factores externos próprios envolventes dos ambientais eleitorais.

“Isto é fundamental para que, efectivamente, se consiga aferir qual é a envolvimento dos partidos políticos concorrentes ao processo eleitoral”, vincou, para quem este é um marcador que deve merecer atenção para as formas de intervenção e operacionalidade da parte da PN.

De acordo com a porta-voz da CNE, além da questão do ambiente eleitoral, é fundamental que haja nos currículos académicos científicos da PN uma disciplina sobre práticas eleitorais.

Para si, isto vai facilitar a compreensão do processo em si e permitir uma percepção mais alargada da forma de actuação da polícia nesta fase.

“Quer dizer que todos estes factores devem ser considerados: o envolvimento externo, o ambiente eleitoral e o voto de confiança que os eleitores depositam na Polícia Nacional nesta fase do processo”, concluiu. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA