Relatório da OMS revela: Cabo Verde tem mais de 24 mil pessoas que sofrem de depressão

(Foto: Banco Da Saúde)

O novo relatório global da Organização Mundial de Saúde (OMS), publicado no dia 23 de Fevereiro 2017, mostra que a depressão atinge 4,9% da população cabo-verdiana, o correspondente a 24. 240 cidadãos afectados por esse transtorno mental. A nível mundial, a situação é mais alarmante, já que a doença – que está na origem de muitos suicídios – aumentou em mais de 18 pontos percentuais entre 2005 e 2015.
Relatório da OMS revela: Cabo Verde tem mais de 24 mil pessoas que sofrem de depressão

Casos de transtornos mentais estão a aumentar em Cabo Verde. A representante da OMS na cidade da Praia informa que o recente relatório da organização mostra que a depressão atinge 4,9% da população cabo-verdiana – corresponde 24. 240 pessoas. Vesna Jovic precisa, porém, que os transtornos relacionados com a ansiedade afectam 3,1% (15. 175) das pessoas que vivem no nosso país.

A situação é mais preocupante a nível mundial. De acordo com a última publicação da OMS, o número de pessoas que vivem com a depressão aumentou em mais de 18% entre 2005 e 2016. Ou seja, actualmente 322 milhões de pessoas padecem desse transtorno mental no mundo e a prevalência maior está entre as mulheres (5.1%).

Em termos da consequência, diz a mesma instituição, a depressão constitui a maior causa de incapacidade em todo o mundo e mais de 80% da carga desta doença está entre as pessoas que vivem em países de baixa e média renda – as mulheres são as mais afectadas por essa patologia do que os homens. Nos casos mais extremos, a depressão tem levado ao suicídio de muitos dos doentes, apesar de existir vários tratamentos eficazes para essa doença.

Em 2015, estima-se que 788 mil pessoas tenham morrido como resultado de suicídios. O número de tentativas falhadas é, segundo dados da OMS, muito maior ainda. O suicídio representou 1,5% do total de mortes do ano e esteve entre as 20 principais causas de morte. Entre os jovens dos 15 aos 29 anos, é mesmo a segunda causa de morte, revela a mesma fonte.

Ainda com base no relatório da OMS e divulgado pela Euronews, mesmo se 78% dos suicídios ocorreram em países de rendimentos médios ou baixos, as taxas de suicídio mais altas encontram-se entre os homens dos países onde os salários são mais elevados.

Factos e respostas

Para a OMS, a depressão é um transtorno mental frequente. Esses distúrbios têm impacto sobre o humor ou nos sentimentos das pessoas afectadas. Segundo a mesma instituição, são condições de saúde diagnosticáveis e diferentes dos sentimentos de tristeza, stress ou medo que qualquer pessoa possa experimentar de vez em quando na sua vida.

Conforme o relatório que vimos citando, a depressão é uma das condições prioritárias cobertas pelo Mental Health Gap Action Programme (mhGAP) da Organização Mundial da Saúde. O programa visa, em termos de respostas, ajudar os países a aumentar os serviços prestados às pessoas com transtornos mentais, neurológicos e de uso de substâncias, por meio de cuidados providos por profissionais de saúde que não são especialistas em saúde mental. «A iniciativa defende que, com cuidados adequados, assistência psicossocial e medicação, dezenas de milhões de pessoas com transtornos mentais, incluindo depressão, poderiam começar a levar uma vida normal – mesmo quando os recursos são escassos», realça em comunicado a representante da OMS em Cabo Verde. (Asemana)

DEIXE UMA RESPOSTA