Lunda Sul: Parteiras tradicionais querem mais apoio do governo

Lunda-Sul: Esperança Baptista - Parteira Tradicional (Foto: Helder Dias)

As parteiras tradicionais na província da Lunda Sul, solicitaram hoje, sexta-feira, mais apoio do governo local, no que toca a criação de condições necessárias para o normal exercício das suas actividades.

A solicitação foi feita através de uma mensagem lida pela parteira tradicional, Esperança Baptista, em nome das demais, durante um encontro com a governadora local, Cândida Narciso, que visou auscultar as principais dificuldades que as mesmas enfrentam no exercício das suas actividades, sobretudo no meio rural.

As terapeutas apontaram também como principal dificuldade a falta de material gastável, kits de primeira necessidade, camas e vários utensílios que auxiliam o trabalho do parto.

Solicitaram igualmente a necessidade de se criar condições para formação regular com vista a que as mesmas possam melhorar as técnicas, qualidade e propiciar competências para o melhoramento do seu desempenho.

Defenderam ainda a necessidade de se construir infra-estruturas condignas nas comunidades rurais, permitindo com que as parteiras prestem o bom serviço e não o façam nas suas residências como o têm feito.

Em resposta, a governadora local, Cândida Narciso, disse que o governo vai dentro das suas possibilidades procurar resolver algumas das preocupações apresentadas.

Segundo a fonte, os trabalhos desenvolvidos pelas parteiras tradicionais têm permitido que as gestantes residentes nas zonas periféricas tenham assistência adequada, acesso aos cuidados primários de saúde, o que contribui para a redução da mortalidade materna e infantil na província, dai a necessidade de prestar uma especial atenção à esta franja da sociedade.

Recomendou o sector da saúde no sentido de promover periodicamente acções de formação das parteiras sobre métodos de preparação para o parto, uso do material cortante, esterilização, entre outros aspectos para prevenir infecções, bem como da entrega de ferramentas de trabalho.

O sector da saúde controla 548 parteiras tradicionais, distribuídas nos quatro municípios da província, nomeadamente Cacolo, Dala, Muconda e Saurimo. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA