Cuanza Norte: Serviço de Protecção Civil e Bombeiros identifica 13 edifícios degradados

Artéria da Cidade de Ndalatando (Foto: Pedro Parente)

Treze edifícios degradados, que se encontram em diferentes pontos da zona urbana da cidade de Ndalatando, capital da província do Cuanza Norte, foram declarados impróprios para habitação, por correrem risco de desabamento.

O facto vem expresso num relatório do Comando Provincial do Cuanza Norte do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros entregue hoje, segunda-feira em Ndalatando, adiantando que entre os edifícios a beira do colapso figuram a antiga residência do grupo empresarial português Adelino e Filhos, as instalações do Secretariado Provincial da OMA e do antigo Banco Nacional de Angola (BNA).

Consta ainda das infra-estruturas cadastradas o antigo Hotel Rei Menor, uma residência que alberga uma equipa de médicos e as residências números 50, 215, 133 localizados no casco urbano desta cidade.

O documento aponta, entre as causas do risco de desabamento, a longevidade dos edifícios adicionada a má conservação.

O mesmo aponta ainda 64 residências em diferentes bairros de Ndalatando e outras 13 no município de Samba Cajú, bem como duas pontes no município do Cazengo, que também correm risco semelhantes.

De acordo com o informe, 19 outras residências, na cidade de Ndalatando, encontram-se igualmente ameaçadas por uma árvore frondosa, do tipo mafumeira, que cresceu junto das mesmas e que pode cair a qualquer momento.

Segundo ainda o relatório, durante o ano de 2016, o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros procedeu a avaliação de zonas de risco nos municípios de Cazengo, Cambambe, Lucala e Ambaca, aonde foram constatados riscos de inundações, desabamentos, descapotamentos de tectos, deslizamentos de terra, águas poluídas, descargas eléctrica, ravinas, entre outros.

Durante o período em balanço, foram identificadas oito ravinas que colocam em risco residências e a circulação rodoviária nos municípios de Cambambe e Cazengo.

Nesse período, avança a nota, foi igualmente realizada avaliação de risco desabamento de arvores secas, no interface urbano e florestal no município de Lucala, onde se constatou a vulnerabilidade a incêndios florestais susceptíveis de afectarem seis campos avícolas.

Salienta ainda a nota, ter sido já registados quatro ocorrências de incêndios entre 2014 a 2O16, nestes mesmos campos, resultante da falta de gestão de combustíveis mortos (arbustos), no interior e arredores das referidas infra-estruturas. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA