Cães policias atacam activistas em Luanda

Convocatória da manifestação pedindo a demissão do ministro Bornito de Sousa (DR)

Activistas violentamente reprimidos ontem em Luanda e Benguela, quando protestavam contra o papel simultaneamente de “jogador e árbitro” assumido por Bornito de Sousa.

Bornito de Sousa é simultaneamente ministro da Administração do Território – órgão que conduz o registo eleitoral que decorre até 31 de Março – e número dois na lista de candidatos pelo MPLA às eleições presidenciais previstas para Agosto e logo candidato a vice-presidente de Angola.

Na oposição a UNITA pediu a sua demissão e a CASA-CE fala de irregularidade e fraude, defendendo ambos que o processo deveria ser conduzido pela Comissão Nacional Eleitoral, apesar de no final de 2016 o Tribunal Constitucional ter dado razão ao executivo de Luanda.

Activistas convocaram sexta-feira em Luanda e Benguela manifestações pacíficas para exigir a demissão de Bornito de Sousa pelo facto de ele ser ao mesmo tempo “jogador e árbitro” o que demonstra falta de ética e de moral, ainda que legalmente não haja “incompatibilidade legal” que o impeça de o fazer, como ele próprio argumentou.

Em Benguela a manifestação foi proíbida pelo governo provincial, mas os activistas deciciram apesar de tudo marchar hoje, tendo sido presos 23 manifestantes, soltos ao cabo de quase sete horas de detenção e agressões por parte da policia, ainda antes da hora a que a manifestação estava convocada.

Já em Luanda onde a manifestação não foi proibida, mas a repressão foi brutal e a quase totalidade dos pouco mais de uma dezena de manifestantes foram agredidos com “porretes” e mordidos por cães policia. (Rfi)

DEIXE UMA RESPOSTA