Cabo Verde: Arquipélago reitera interesse por inclusão no espaço Schengen

(Arquivo) Ulisses Correia Silva, primeiro-ministro de Cabo Verde (Foto: Angop)

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, reiterou terça-feira que o seu Governo está a estudar uma proposta para a inclusão do arquipélago no espaço Shengen, no âmbito da parceria especial que o une à União Europeia (UE) há quase uma década.

“Cabo Verde está a preparar-se para permitir que haja abertura das suas fronteiras relativamente à isenção de vistos para cidadãos do espaço Schengen, para depois entrar na mobilidade completa”, explicou.

O chefe do Executivo cabo-verdiano falava aos jornalistas à margem do acto de apresentação pública do acesso universal dos cidadãos ao Boletim Oficial (BO).

Reafirmou que Cabo Verde quer avançar com a iniciativa, tendo em conta que tem havido “receptividade positiva” relativamente à ideia, mas advertiu que a sua concretização vai depender de um percurso que tem que ser feito.

Esta questão surge numa altura em que Cabo Verde está a ter um forte crescimento em termos de turismo, sendo intenção do Governo criar todas as condições para que o fluxo de turistas aumente em qualidade.

O objectivo, para além de fazer aumentar o fluxo de turistas, reduzindo barreiras no quadro da parceria para a mobilidade que existe com a UE, é também projectar no futuro a possibilidade dos cabo-verdianos poderem também circular com liberdade no espaço Schengen.

O espaço Schengen resultou de um acordo rubricado por 30 países europeus, incluindo todos os integrantes da União Europeia (UE), excepto a Irlanda e o Reino Unido, e três países não membros da UE, designadamente a Islândia, a Noruega e a Suíça, visando a abertura das fronteiras à livre circulação de pessoas entre os países signatários. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA