Benguela: Mincult atribui diploma de mérito ao grupo carnavalesco Bravos da Vitória

Carnaval 2016 (Foto: Alfredo Cassanga/ARQ:)

O Ministério da Cultura rendeu quinta-feira homenagem ao grupo carnavalesco da Catumbela Bravos da Vitória, em reconhecimento ao seu histórico. Em 35 participações, o grupo arrecadou 26 troféus.

Na ocasião, foi atribuído ao grupo um certificado de mérito e cheque no valor de 850 mil kwanzas, cujo acto foi presidido pelo secretário de estado da Cultura, João Constantino.

O responsável descreveu como sendo uma necessidade reconhecer e homenagear os grupos carnavalescos e personalidades que têm contribuído no processo de resgate, divulgação e valorização do Carnaval.

João Constantino disse que o processo de homenagem aos grupos carnavalescos e à pessoas singulares ligadas ao Carnaval foi concebido pelo Ministério da Cultura desde 2002 e teve início no ano 2003 com o objectivo de resgatar, valorizar, promover, difundir e preservar certas danças que correm o risco de desaparecerem, devido, sobretudo, a idade avançada dos seus dos grupos executantes.

O responsável referiu que outro motivo que levou a adopção dessa política de homenagem tem a ver com o reconhecimento do contributo significativo para o desenvolvimento do Carnaval e da cultura nacional, como é o caso dos Bravos da Vitória.

João Constantino frisou ainda que os feitos conquistados pelo grupo da Catumbela foram um grande contributo ao desenvolvimento do Carnaval de Angola e, consequentemente do desenvolvimento da Cultura Nacional.

“Por essa razão, felicitamos o grupo homenageado e encorajamos os seus responsáveis e todos integrantes a prosseguirem com o trabalho, brincando ao Carnaval”, referiu, acrescentando que desde 1978, quando aconteceu a primeira edição pós independência, o Executivo tem prestado o devido apoio, carinho e dedicação a essa festa popular do país.

Salientou que analises e sugestões obtidas, visando melhorar a forma de organização, apontam a necessidade de se trabalhar, tanto a nível provincial como nacional, em parceria com os agentes económicos para se encontrar alternativas que sustentem essas festividades, já que o erário público não deve suportar, na totalidade, os encargos daí decorrentes.

Por seu lado, a administradora municipal da Catumbela, Alice Filomena Pascoal, manifestou satisfação pela escolha do Bravos, um gesto que enche de emoção tanto os fazedores do Carnaval como os munícipes, no geral.

O grupo homenageado fez uma apresentação bastante aplaudida. Tendo em conta a nova política, adoptada pelas autoridades provinciais de Benguela, de municipalização dos desfiles carnavalescos, mais uma vez, o Bravos da Vitória não vai participar no desfile municipal competitivo, devendo fazê-lo como bloco de animação.

O grupo tem uma composição de mais de 700 integrantes, segundo consta do seu historial.

Desde 1978, data da sua fundação a 23 de Março, o grupo catumbelense levou para a sua galeria 26 títulos provinciais, das 35 edições em que competiu. Devido as novas regras de disputa adoptadas na província (realização de Carnavais municipais) assume deixar de participar, por alegada falta de competitividade na sua jurisdição, já que mesmo ao nível da província sempre revelou indiscutível hegemonia. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA