Andebol: Federação prevê criar gabinete que apoia clubes

Pedro Godinho, candidato a Presidente da Federação de Andebol (Foto: ANTÓNIO ESCRIVÃO)

Criar um departamento para atendimento e resolução dos problemas dos clubes, desde inscrições, transferências internas e internacionais, é uma das acções para os próximos quatro anos do candidato a presidente da Federação Angolana de Andebol, Pedro Godinho.

A acção foi manifestada quinta-feira, no Lubango, durante apresentação do seu programa de governação aos clubes e a associação da modalidade da Huíla, tendo reconhecido que durante o mandato que findou poucas foram as acções realizadas nas associações provinciais.

Para colmatar esta situação, neste terceiro mandato, o presidente cessante informou que a federação vai integrar os presidentes ou representantes dos principais clubes do país, para permitir uma participação directa em algumas acções e decisões.

Explicou que o órgão reitor da modalidade pretende, igualmente, discutir sempre com os clubes os ajustes da época desportiva, salvaguardando em primeira instância os interesses destes.

Pedro Godinho informou, igualmente, que o elenco da federação tem projectos de formações de árbitros para que ascendam à categoria internacional, a serem ministradas por formadores da Confederação Africana da modalidade.

Conclusão do refrescamento e formação do nível 1 em quase todo país, havendo apenas duas ou três províncias por concluir, curso de dirigentes desportivos logo no início do mandato de algumas associações, são de entre acções de formação da FAAND.

Disse constarem ainda do seu projecto a entrada de quatro angolanos nas diferentes comissões de especialidade da Confederação Africana de Andebol.

Pedro Godinho, que já cumpriu dois mandatos na FAAND, em 2008/2012 e 2012/2016, concorre sozinho as eleições na federação, para o quadriénio 2016-2020.

As eleições estão marcadas para sábado (25 de Fevereiro). (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA