Sonangol direcciona foco na reestruturação da empresa

Isabel dos Santos, Presidente do Conselho de administração da Sonangol Foto: ANTóNIO ESCRIVãO)

Um maior foco à reestruturação da Sonangol tem sido dado pelo novo Conselho de Administração, que está em funções desde Junho do ano em curso, para inverter os resultados menos positivos, assegurar o acesso a novas fontes de financiamento e a sustentabilidade de longo prazo.

Segundo a presidente do Conselho de Administração da petrolífera angolana, Isabel dos Santos, o trabalho em curso, além de permitir a reestruturação da empresa, visa a sua transformação societária, alinhada com o novo modelo do sector petrolífero angolano.

A líder da companhia nacional de combustíveis, que falava nesta quinta-feira, em conferência de imprensa, disse que está a ser feito um trabalho árduo para garantir o cumprimento dos compromissos financeiros.

Isabel dos Santos realçou que o cumprimento dos compromissos financeiros vão determinar a capacidade da Sonangol obter novos financiamentos, fundamentais para investir em novos projectos de campos petrolíferos para evitar o declínio dos níveis de produção.

A gestora da Sonangol afirmou que adicionalmente, e para manter a liquidez financeira da companhia e a estabilidade da economia angolana, tem trabalhado com o Banco Nacional de Angola e com o Executivo para continuar a assegurar o acesso regular a divisas e ao pagamento dos produtos refinados importados.

Dentro desse quadro, disse que a petrolífera está também, e de uma forma criteriosa e ponderada, a reavaliar todos os investimentos e projectos. Em particular, os investimentos na Refinaria do Lobito e na estação de armazenamento de combustíveis na Barra do Dande estão suspensos (e não cancelados) para reavaliação da visão estratégica e da viabilidade económica.

Informou que o novo Conselho de Administração lançou um profundo programa de reestruturação interna, baseado na transparência, no rigor, excelência e rentabilidade, do qual se espera que liberta todo o potencial do Grupo Sonangol.

Disse que se trata de um programa assente na redução de custos designado “Sonalight”. O referido programa está centrado na redução de custos via renegociação e/ou cancelamento de contractos, racionalização de gastos, dimensionamento correcto das operações e revisão da política de compensações.

O programa já identificou e implementou diversas medidas de contenção de custos com impacto superior a 240 milhões USD (duzentos e quarenta milhões) de poupanças anuais recorrentes.

A Sonangol está também focada no redesenho das estruturas organizacionais, com um alinhamento de políticas de subsídios com práticas na indústria, dinamização de um programa de pré-reformas, resolução da situação de colaboradores não activos, actuação sobre o número de contratados, e desenho de um novo modelo de gestão de bolsas.

Sublinhou que o sucesso desta reestruturação depende do compromisso de todos os colaboradores.

Para incutir uma cultura de maior rigor, excelência, transparência e compromisso, valores base acima referidos, está em curso um programa de mudança da cultura.

Quanto a resultado do exercício, disse que o lucro da Sonangol tem vindo a decrescer entre 2013 e 2015. Em 2013 o lucro foi de 3.089 milhões USD (três mil e oitenta e nove milhões), em 2014 foi de 1.415 milhões USD (mil e quatrocentos e quinze milhões), e em 2015 o lucro foi de 389 milhões USD (trezentos e oitenta e nove milhões).

Em 2016, prevê-se que não haverá dividendos para o accionista Estado. (Angop)

1 COMENTÁRIO

  1. Entendo que, em qualquer Empresa, de todos os setores, é fundamental Avaliar a Viabilidade do Negócio. No caso específico, considerando as informações passadas, e, um pouco de achismo, pois é preciso conhecer informações mais refinadas, é preciso uma reformulação em sua estrutura, pois é feito uma convocação aos colaboradores, colocando neste grupo o Resultado Positivo de uma Reorganização.
    O Sucesso de um Projeto depende da Estratégia Desenhada, do Grupo de Direção e da Liderança do Projeto, existem metas e objetivos traçados, se a Empresa perdeu a Credibilidade, está com problemas de Caixa é a direção que precisa retomar as rédeas das Decisões. Se preciso cortar na carne!

DEIXE UMA RESPOSTA