Política monetária, fiscal, de rendimentos e preços têm reflexos positivos, José Eduardo dos Santos

José Eduardo dos Santos (TPA)

O presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos, afirmou hoje, em Luanda, que se constata actualmente melhor coordenação da política macro-económica no país, com reflexos positivos na execução da política monetária, fiscal e de rendimentos e preços e na economia real.

José Eduardo dos Santos falava na abertura da 2ª sessão ordinária do Comité Central do MPLA, partido que governa Angola, e após a realização, “com êxito”, do VII Congresso Ordinário, no qual se renovou a sua direcção e aprovou-se a Moção de Estratégia do Líder, “que contém as orientações fundamentais para o próximo mandato 2017-2022”.

“Com base nessas orientações, reajustámos os órgãos executivos do partido e efectuou-se uma remodelação parcial do Executivo, com vista a melhorar a disciplina e a garantir maior transparência e eficiência na gestão da Coisa Pública, como recomendou o VII Congresso do MPLA”.

De acordo com José Eduardo dos Santos, os primeiros resultados obtidos são, por um lado, a melhor coordenação da actividade do Secretariado do Bureau Político e a sua articulação mais eficaz com a Bancada Parlamentar do MPLA e com o Executivo, e, por outro, a melhor coordenação da política macro-económica, com reflexos positivos na execução da política monetária, fiscal e de rendimentos e preços e na economia real.

“Assim, registou-se uma desaceleração da inflação, que em Julho estava em 4,4 porcento e em Outubro baixou para cerca de 1,6 porcento. No mercado, os preços dos produtos da cesta básica baixaram em mais de 50 porcento e verificou-se a retoma da actividade das empresas que estavam a paralisar, o restabelecimento da execução dos contratos de investimentos públicos em vários domínios e o aumento do emprego”, sublinhou.

O presidente do MPLA e da República vincou que a execução da Estratégia para a Saída da Crise ganhou um novo fôlego, a implementação do Programa de adequação do Banco Nacional de Angola e do sistema bancário nacional à legislação nacional e internacional e às boas práticas universais está no bom caminho, assim como a reorganização e melhoria da gestão da SONANGOL (Sociedade Nacional de Combustíveis).

No início da reunião, e sob orientação de José eduardo dos Santos, os participantes renderam homenagem ao líder da Revolução Cubana, Fidel Castro, falecido por doença, no dia 25 de Novembro, em Havana, observando um minuto de silêncio, depois de o presidente do MPLA ter tecido palavras de gratidão pelos feitos do ex-presidente cubano em prol da independência de Angola.

Da agenda consta a escolha do cabeça de lista do partido às eleições de 2017, estratégia eleitoral, proposta de governação 2017/2022, estrutura de coordenação da campanha eleitoral, entre outros temas.

A sessão tem lugar no Complexo Turístico do Futungo 2, distrito urbano da Samba, e realiza-se um dia depois da abertura da jornada comemorativa do 60º aniversário da fundação do MPLA, cujas actividades decorrerão em todo o país até 31 deste mês.

Na sua primeira sessão, realizada a 23 de Agosto, o Comité Central, eleito no VII Congresso Ordinário do MPLA, realizado de 17 a 20 do mesmo mês, teve como ponto alto da agenda, a escolha dos membros do Bureau Político, do vice-presidente, e do secretário-geral do partido.

João Lourenço foi eleito para o cargo de vice-presidente do MPLA, substituindo Roberto de Almeida, enquanto Paulo Cassoma passou a ocupar a função de secretário-geral do partido, em substituição de Julião Mateus Paulo “Dino Matrosse”. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA