Acesso à energia eléctrica até 2025 constitui destaque da semana

Ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges (Foto: Lucas Neto)

A realização em Cambambe da conferência de imprensa do Ministério da Energia e Águas, na qual o titular da pasta João Baptista Borges, garantiu de que pelo menos 14 milhões de angolanos, cifra correspondente a 70 porcento da população, terão acesso à energia eléctrica até 2025, constitui o destaque do noticiário económico da semana.

Segundo ministro, que falava em conferência de imprensa, na Barragem Hidroeléctrica de Cambambe, para explicar as razões que estão na base para os constantes cortes de energia em Luanda, calculou que nessa altura (2025), pelo menos 33 porcento ou trinta e três em cada 100 angolanos beneficiará do fornecimento de energia eléctrica.

O titular do sector eléctrico do país fundamentou essa informação com base nos investimentos que estão a ser feitos nas barragens hidroeléctricas de Cambambe que produzirá um total de 960 megawatts até a conclusão do projecto, Laúca que poderá em Julho de 2017 adicionar 600 megawatts à rede nacional de energia, e o Ciclo Combinado do Soyo com 120 megawatts.

Outra matéria que mereceu destaque foi a visita surpresa de constatação que o ministro das Finanças, Archer Mangueira, procedeu à 1ª Repartição Fiscal, tendo passado igualmente pela Repartição fiscal dos Grandes Contribuintes e na 2ª Repartição Fiscal.
O governante disse que o Executivo está a criar condições de trabalho para aumentar a arrecadação da receita tributária e melhorar a prestação de serviço ao contribuinte.

O noticiário económico destacou igualmente que o sector das pescas importou, no decurso deste ano, 22 mil e 561,25 toneladas de peixe carapau, correspondendo a 25 porcento das 90 mil toneladas definidas como quota de importação.

De acordo com o comunicado final do II Conselho Consultivo do Ministério das Pescas, realizado dia 05, no período em análise houve redução da importação das quantidades previstas de carapau devido à escassez de divisas.

Mereceu igualmente destaque o facto dos preços dos produtos alimentares no mercado do Kilómetro 30, no município de Viana, registarem uma baixa significativa, mercê das medidas adoptadas pelo Executivo e empresas para o aumento de stocks de bens não produzidos no país.

Neste maior mercado a céu aberto do país, constata-se que 500 kwanzas, que antes o cliente conseguia comprar um kg de açúcar, agora pode levar para casa 2,5 kg do mesmo produto.

O kg de arroz, que há cinco meses chegou a custar 500 kwanzas, agora é comercializado a 300 kwanzas, uma redução do preço na ordem de 40 porcento.

Também foi matéria de capa a informação do ministro dos Transportes, segundo a qual o primeiro lote de quinze locomotivas que vai reforçar a capacidade dos Caminhos de Ferro de Angola começou a chegar em Novembro último ao país.

O anúncio foi feito pelo ministro Augusto da Silva Tomás, no final de um encontro que manteve com o Governador Provincial de Luanda, Higino Carneiro, com o objectivo de perspectivar um futuro melhor no sector dos transportes rodoviários e ferroviários na capital do país.

Referiu que já desembarcaram locomotivas nos Portos de Luanda, Lobito e Namibe, para o Caminhos de Ferro de Luanda (CFL), Caminho de Ferro de Benguela (CFB) e Caminho de Ferro de Moçamedes (CFM). (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA