Vidrul vence nova categoria dos Prémios Sirius

Manuel Nunes Júnior, Presidente do Juri 6ª edição Prémio Sirius (Foto: ANTÓNIO ESCRIVÃO)

O prémio melhor empresa exportadora, nova categoria da 6ª edição dos Prémios Sirius, foi atribuída a empresa Vidrul, vocacionada ao fabrico e a comercialização de embalagens e vasilhames de vidros no mercado nacional e internacional.

O facto foi anunciado quinta-feira (24), em Luanda, pelo presidente do Júri dos Prémios Sirius, Manuel Nunes Júnior, durante a gala de premiação das empresas e personalidades vencedoras da 6ª edição, que contou com dez categorias, numa iniciativa da empresa de consultoria e auditoria “Deloitte”.

Segundo Manuel Nunes Júnior, o corpo de jurado entendeu distinguir a Vidrul como melhor empresa exportadora por ser uma referência para todos os projectos empresariais geridos com a prática de excelência no país, direccionando a sua produção para o mercado competitivo interno e externo.

“A Vidrul conquistou novos mercados com a exportação de cerca de 25 porcento da sua produção em 14 países africanos, nomeadamente, o Senegal, Mali, Madagáscar, Togo, Beni, Burquina Faso, Gabão, a República Democrática do Congo, Costa do Marfim, entre outros, fornecendo os seus produtos em marcas prestigiadas e exigentes no mercado como a Coca-cola, Refriango e a Cuca”, acrescentou o presidente do Júri.

Esta empresa, que goza de uma imagem de prestígio e excelência junto da comunidade empresarial nacional e internacional, emprega pelo menos mil trabalhadores dos quais 80 porcento são nacionais.

Durante o acto de premiação foi igualmente distinguido o grupo empresarial Zahara Comércio como o vencedor do prémio de melhor programa de desenvolvimento do capital humano, assim como a empresa Biocom que venceu o prémio de melhor programa de responsabilidade social e a empresa Nampak Bevcan Angola (ex-Angolata) foi a vencedora do prémio de melhor investimento directo estrangeiro.

A empresa Griner venceu a categoria de melhor relatório de gestão e contas do sector não financeiro, enquanto que o Banco Angolano de investimentos (BAI) foi o vencedor do prémio de melhor relatório de gestão e contas do sector financeiro.

Para a categoria do prémio empresa do ano do sector não financeiro venceu a Refriango. Por outro lado, o Banco Comercial do Huambo (BCH) e o Banco de Fomento Angola (BFA) foram os vencedores do prémio empresa do ano do sector financeiro, respectivamente.

A empresária Elizabete Dias dos Santos foi distinguida com o prémio empreendedor do ano, enquanto que o presidente do Conselho de Administração da Imogestin, Rui Cruz, venceu o prémio gestor do ano.

A habitual gala de premiação que visa homenagear a excelência, o talento e as boas práticas das empresas e individualidades que mais se destacaram na comunidade empresarial angolana durante o exercício económico 2015/2016, foi testemunhada pelos membros do Executivo, gestores, empresários, investidores e economistas. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA