Trump e Obama falaram mais de hora e meia. E prometem cooperação mútua

(AFP/Getty Images)

O encontro era para ter durado 15 minutos e demorou mais de hora e meia. Obama e Trump disseram ter falado de coisas boas e de dificuldades. E prometeram cooperação mútua para o futuro.

Porta-voz da Casa Branca: reunião foi “menos estranha” do que se estava à espera

No final da reunião entre Barack Obama e Donald Trump, o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, falou aos jornalistas na Casa Branca para garantir que Obama e Trumpa estão apostados em fazer uma “transição eficaz e suave”. O encontro entre os dois permitiu renovar a confiança nessa transição tranquila, assegurou.

Apesar de todas as diferenças entre os dois, reiterou Earnest, o país está agora “numa nova fase”. É tempo de virar a página das eleições e unir todos os norte-americanos depois de uma campanha particularmente violenta. Essa parece ser a nota dominante em todos os discursos. O porta-voz da Casa Branca chegou mesmo a admitir que a reunião foi “menos estranha” do que se estava à espera, confessa o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest.

Sanders promete ser o “pior pesadelo” de Trump, se o futuro Presidente pisar o risco

“Se Donald Trump usar a ira das pessoas [contra o sistema] e a voltar contra muçulmanos, hispânicos, afro-americanos e mulheres, seremos o seu pior pesadelo”, escreveu Bernie Sanders no Twitter. O senador do Vermont, candidato nas primárias democratas deste ano, acabou por ser derrotado por Hillary Clinton, apesar de toda a expectativa criou.

Responsável russo revela contactos com a equipa de Trump durante a campanha

O vice-ministro dos negócios estrangeiros da Rússia, Sergei Ryabkov, revelou, em entrevista à agência russa Interfax, que existiram contactos entre o Governo russo e a equipa de Donald Trump. Os membros da campanha do Presidente eleito negam tudo.

A história mereceu o destaque do Washignton Post, que dá eco às declarações de Ryabkov. “Conhecemos a maioria das pessoas da comitiva dele. Aquelas pessoas sempre estiveram na ribalta nos Estados Unidos e ocuparam altos cargos. Não posso dizer que são todos, mas boa parte deles tem tido contacto com representantes russos”.

A equipa de Trump apressou-se a desmentir o responsável russo. Hope Hicks, porta-voz de Trump, negou qualquer contacto entre a Rússia e Trump antes das eleições. “A campanha não teve contacto com autoridades russas”, disse Hicks num comunicado, escreve o Washington Post.

O conselho de Obama: “Não responda às perguntas quando eles começam aos gritos”

No final das declarações de Barack Obama e Donald Trump, os jornalistas na Casa Branca ainda tentaram lançar algumas perguntas. Sem sucesso. Obama, bem-disposto, ainda dá um conselho ao Presidente eleito. “Não responda às perguntas quando eles começam aos gritos”.

Pode ver as declarações dos dois na íntegra a seguir:

Trump fala em “grande respeito” por Obama e promete cooperação

Depois de um encontro que durou cerca de 90 minutos, o Presidente eleito dos Estados Unidos acabou por dizer que a reunião correu bem e sublinhou que, se dependesse da sua vontade, poderia se ter prolongado.

O momento parace ser agora de cicatrizar as feridas deixadas pela campanha eleitoral. Prova disso mesmo foi o facto de Donald Trump ter aproveitado o encontro com Obama para dizer ter “grande respeito” pelo ainda Presidente norte-americano.

“Foi uma grande honra estar consigo [Obama] e espero encontrar-me consigo várias vezes no futuro”.

Esta reunião ia durar talvez 10 ou 15 minutos e servia só para nos conhecermos. Nós nunca nos tínhamos encontrado. Tenho grande respeito [por Obama]. A reunião durou quase uma hora e meia e poderia ter, no que me diz respeito, durado por muito mais tempo. Discutimos situações diferentes, algumas maravilhosas e algumas difíceis. Estou muito ansioso por conversar com o Presidente no futuro. [Obama] explicou algumas das dificuldades existentes (…) e alguns dos objetivos que foram alcançados. Senhor Presidente, foi uma grande honra e espero estar consigo muitas e muitas vezes no futuro”, garantiu Trump.

Obama fala em “excelente conversa com Trump”

A reunião entre Barack Obama e Donald Trump já terminou. O ainda Presidente dos Estados Unidos descreveu a reunião com Trump como uma “excelente conversa” e reiterou o desejo para que a transição de poder decorra de forma tranquila.

“É tempo de trabalharmos juntos. Se [Trump] for bem-sucedido, o país será bem-sucedido”, sublinhou Obama.

Falámos sobre algumas das questões organizacionais da Casa Branca. Conversámos sobre política externa e política interna Como já tinha dito, o meu objetivo número um nos próximos meses é tentar facilitar uma transição que garanta que o nosso Presidente eleito seja bem-sucedido. Fiquei muito encorajado pelo interesse demonstrado por Donald Trump em querer trabalhar com a minha equipa em torno das muitas questões que este grande país enfrenta. Acredito que é importante para todos, independentemente do partido e independentemente das preferências políticas, que agora se reúnam para trabalharmos juntos, de modo a lidarmos com os muitos desafios que enfrentamos”, sublinhou Obama. (Observador)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA