Tensão na fronteira: Militares russos são sequestrados por forças ucranianas na Crimeia

(Sputnik/ Maks Vetrov)

Agentes de segurança ucranianos sequestraram dois militares russos na Crimeia, e estão a tentar processá-los criminalmente. A informação foi divulgada pelo Ministério da Defesa russo.

Moscovo afirmou que considera o sequestro uma “provocação flagrante”, e está exigindo a libertação imediata e o retorno dos oficiais à Rússia.

O Ministério da Defesa informou que os dois soldados russos, Maxim Odintsov e Aleksander Baranov, foram sequestrados em 20 de Novembro perto da fronteira da região ucraniana de Nikolayev, com o “aparente objectivo de processá-los criminalmente”.

“Nós consideramos tais acções das forças de segurança da Ucrânia contra cidadãos russos como uma nova provocação flagrante e exigimos seu retorno imediato à Rússia”, diz o serviço de imprensa do Ministério da Defesa russo.

De acordo com o pronunciamento da pasta russa, as autoridades ucranianas podem usar pressão física e psicológica para forçar os oficiais russos a confessar seus supostos crimes contra a Ucrânia.

Posteriormente, foi relatado pelo Serviço de Segurança da Ucrânia que os militares russos detidos na Crimeia haviam servido anteriormente no Exército ucraniano. O motivo da detenção foi a existência de um processo criminal contra eles por deserção.

A Crimeia tornou-se novamente uma região russa após o referendo realizado na sequência da tensão política na Ucrânia em 2014. A favor da reunificação com a Rússia votaram mais de 95% dos moradores da península. (Sputnik)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA