Sarkozy volta a ser acusado de ter recebido financiamento líbio em 2007

Um empresário franco-libanês afirma que entregou mais de cinco milhões de euros em dinheiro vindo da Líbia para o ex-presidente francês, Nicolas Sarkozy, durante a sua campanha presidencial de 2007, sobre a qual pesam suspeitas de financiamento oculto. (Afp)

Um empresário franco-libanês afirma que entregou mais de cinco milhões de euros em dinheiro vindo da Líbia para o ex-presidente francês, Nicolas Sarkozy, durante a sua campanha presidencial de 2007, sobre a qual pesam suspeitas de financiamento oculto.

Em uma entrevista transmitida pelo site de informações Mediapart, Ziad Takieddine afirma ter “transportado (…) um total de 5 milhões de euros” em malas em três viagens entre Novembro de 2006 e início de 2007.

Estas malas, que, segundo ele, continham entre 1,5 milhão e dois milhões em maços de notas de 200 e 500 euros, foram depositadas primeiramente directamente no escritório de Claude Guéant, o ex-braço direito de Nicolas Sarkozy, então ministro do Interior.

Na terceira viagem, ele afirma ter entregue a mala em um apartamento onde Nicolas Sarkozy estava hospedado.

As malas de dinheiro foram entregues a ele em Tripoli pelo chefe do serviço secreto líbio sob o regime de Muammar Khaddafi.

O ex-chefe de Estado francês (2007-2012), candidato a um novo mandato presidencial em 2017, sempre negou veementemente as acusações. Após três anos de investigações, os juízes franceses recolheram vários testemunhos de ex-altos funcionários do regime líbio, mas nenhuma evidência confirmou estas alegações. (Afp)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA