Queda do avião da Chapecoense mata 75 na Colômbia

Alan Ruschel é um dos sobreviventes e deu entrada em hospital colombiano (EFE)

Seis sobrevivem à tragédia, entre eles os jogadores Alan Ruschel, Follmann e Neto e o jornalista Rafael Henzel. Acidente acontece em área montanhosa perto de Medellín. Aeronave transportava 81 pessoas.

Um acidente com o avião que transportava a equipe da Chapecoense deixou 75 mortos no início da madrugada desta terça-feira (28/11) na Colômbia. A aeronave caiu numa região montanhosa nas proximidades de Medellín, no noroeste do país por volta da 1h (horário de Brasília).

Segundo as autoridades colombianas, há 75 mortos e seis sobreviventes. Das 81 pessoas que estavam na aeronave, 72 eram passageiros, e nove, tripulantes.

Inicialmente, a Polícia Nacional da Colômbia divulgou que havia 76 mortos e cinco sobreviventes. O general José Acevedo, chefe local da Polícia, disse que seis pessoas foram resgatadas com vida, mas uma morreu a caminho do hospital. Depois a Aeronáutica Civil da Colômbia divulgou que há seis sobreviventes.

Entre os sobreviventes estão os jogadores brasileiros Alan Ruschel, que deu entrada no hospital da localidade de La Ceja, e Jackson Follmann, disse o diretor da Aeronáutica Civil da Colômbia, Alfredo Bocanegra.

Também foi resgatado o jornalista brasileiro Rafael Henzel, segundo o bombeiro Fernando Gil, de Itagüí, município da área metropolitana de Medellín, que ajudou nos trabalhos de resgate. Ele está ferido e foi levado ao hospital de La Ceja, mas sua condição é estável, acrescentou.

Repórteres brasileiros e colombianos que estão em La Cepa relataram que o zagueiro Neto também sobreviveu e foi levado ao hospital da cidade.

Segundo a imprensa colombiana, o goleiro Danilo foi levado para o Hospital San Vicente de Rionegro, localidade próxima a Medellín, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Ele estava na lista inicial de sobreviventes.

Também foi resgatada com ferimentos a aeromoça boliviana Ximena Suárez, que deu entrada na Clínica Soma de Medellín, segundo a mesma emissora.

Segundo a Aeronáutica Civil da Colômbia, o tripulante Erwin Tumiri também sobreviveu à tragédia.

Jornalistas

Segundo a lista de passageiros, no avião estavam ainda vários dirigentes e convidados da equipe, além de 22 jornalistas brasileiros de emissoras de rádio e televisão, como Globo, RBS e Fox. Entre eles estão o comentarista e ex-jogador Mário Sérgio, o repórter Victorino Chermont e o locutor Deva Pascovicci. Segundo o chefe do aeroporto de Viru Viru, Adid Cabrera, a tripulação era boliviana.

A aeronave era da empresa aérea boliviana LaMia, e o acidente aconteceu na região montanhosa conhecida como El Gordo, perto do município de La Unión, no departamento colombiano de Antioquia.

O avião, um modelo British Aerospace (BAE) 146, de fabricação britânica, partiu-se em três partes quando o piloto tentou um pouso forçado. Antes, o piloto liberou todo o combustível da aeronave para impedir que ela pegasse fogo ao tocar no solo, um procedimento padrão.

A equipe da Chapecoense viajava para Medellín, onde disputaria a primeira das duas partidas finais da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, da Colômbia, nesta quarta-feira. A partida foi suspensa pela Conmebol, bem como todas as atividades da confederação.

Inicialmente, a equipe da Chapecoense planejava viajar num voo charter, mas foi impedida pela Anac. Assim, decidiu embarcar num voo comercial, duas horas mais tarde, a partir de São Paulo e com conexão em Santa Cruz de la Sierra. Da cidade boliviana, o avião partiu rumo a Medellín. (DW)

AS/efe/dpa/ap/rtr

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA