Presidente angolano e centro-africano reunidos em Luanda

Palácio presidencial, em Luanda. (Foto: Francisco Miúdo)

O presidente da República Centro-Africana, Faustin-Archange Toaudéra, está desde as 12H00 no Palácio Presidencial, em Luanda, para um encontro com o seu homólogo angolano, José Eduardo dos Santos, no qual tratarão de questões de interesse comum no quadro das relações de cooperação.

Assuntos ligados ao reforço e perspectivas sobre cooperação entre ambos os governos, a actual situação política na RCA e na região dos Grandes Lagos onde os dois países geograficamente estão inseridos, com outros 10 estados, bem como assuntos de índole internacional estarão em discussão no encontro privado dos dois líderes.

A República Centro-Africana é um país cuja situação política preocupa a Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos (CIRGL), que Angola na pessoa do seu Presidente, José Eduardo dos Santis assume a presidência deste organismo regional.

Esta é a primeira visita oficial de Faustin-Archange Touadéra a Angola desde que assumiu a presidência da RCA, em Fevereiro deste ano, tendo ganho a segunda volta das eleições presidenciais, com 62,71% dos votos, contra os 37,29% dos votos de Anicet-Georges Dologuélé.

Antes do encontro com o seu homólogo angolano, Faustin Touadéra, que deixa a capital do país na tarde de hoje, rendeu homenagem, no Memorial erguido em honra ao primeiro presidente angolano, António Agostinho Neto, tendo depositado no local uma coroa de flores e visitou ainda o Museu de História Militar.

A República Centro-Africana, com uma superfície de 622.984 quilómetros quadrados e com uma população estimada em 5. 277. 959 habitantes, é um país localizado no centro da África, limitado a norte pelo Chade, a nordeste pelo Sudão, a leste pelo Sudão do Sul, a sul pela República Democrática do Congo e pela República do Congo, e a oeste pelos Camarões. A capital do país é a cidade de Bangui.

É um país de economia bastante agrícola, com a agricultura de subsistência (mandioca, millhete, inhame, milho, etc.) e de exportação (café e algodão), e criação de gado.

A principal fonte de riqueza mineral é a produção de diamantes. A industrialização limita-se ao beneficiamento de produtos minerais e vegetais. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA