Polícia boliviana prende estrangeiros que produziam drogas sintéticas

(Afp)

Três cidadãos estrangeiros de nacionalidades argentina, belga e franco-holandesa foram detidos pelas forças anti-narcóticos da Bolívia por operarem um sofisticado laboratório artesanal de drogas sintéticas, modalidade até hora desconhecida no país – informou a Polícia local.

“Realizou-se a batida no domicílio onde se encontrou um laboratório caseiro e onde se fabricava as drogas sintéticas mais potentes do mundo”, disse à imprensa o director da Força Especial de Luta Contra o Narcotráfico (FELCN), Santiago Delgadillo.

Foram presos o químico argentino Alejandro Ariel Mag Gaw, de 35, o belga Johan Nicolás Bolensi, de 52, e a franco-holandesa Céline Audrey Stéphanie Maake Brackhuis, de 36.

O chefe de Polícia detalhou que o alucinogéno era produzido com base em um tipo de cogumelo importado da Argentina. Depois de uma série de combinações químicas, os traficantes obtinham chocolate impregnado com droga.

O laboratório operava na zona sul da cidade de La Paz, perto de um circuito turístico. Cada chocolate era vendido por US$ 20 em discotecas e bares da capital.

Os agentes apreenderam uma substância denominada DMT-Dimetilamino, elaborada com uma planta de origem brasileira, a Jurema Preta. Essa planta seria moída para extracção do alcaloide e, então, misturada com thinner. Depois, era refrigerada para ser transformada em cristal, o qual seria consumido por inalação. (Afp)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA