ONU: 16 mil civis obrigados a deixar zona oriental de Alepo

(Euronews)

Os combates dos últimos dias em Alepo obrigaram pelo menos 16 mil pessoas a deixar a zona oriental da cidade síria, segundo o responsável pelas operações humanitárias da ONU, Stephen O’Brien.

A França pediu esta terça-feira uma “reunião urgente” do Conselho de Segurança das Nações Unidas para debater a “catástrofe humanitária” em Alepo.

“Mais do que nunca, há urgência em pôr termo às hostilidades e permitir um acesso sem limitações à ajuda humanitária”, diz o comunicado do ministério dos Negócios Estrangeiros francês.

Entretanto, imagens divulgadas pelo canal público russo Rossiya-1 mostram alegadas operações de evacuação de bairros orientais de Alepo.

O ministério da Defesa russo informou, esta terça-feira, que a incursão do Exército Sírio em Alepo alterou radicalmente a situação no terreno.

Segundo Alexandr Devyatkin, um responsável do Centro Russo para Reconciliação da Síria, 40% da parte oriental da cidade foi conquistada aos rebeldes.

“Nos últimos dias, o Exército Sírio fez progressos substanciais. Foram libertados mais de dez distritos. Abriu uma brecha na frente defensiva dos rebeldes, o que permitiu aos civis começarem a sair”, disse Devyatkin.

Um vídeo divulgado pelo Exército Sírio mostra uma alegada fábrica artesanal de armamento que as forças do regime terão conquistado aos rebeldes na segunda-feira, no bairro de Sakhour, na zona oriental de Alepo. (Euronews)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA