Obama faz apelo para conter protestos anti-Trump

Barack Obama (EPA/Lusa)

Presidente dos Estados Unidos pediu aos norte-americanos que “amem os seus vizinhos como a eles mesmos”, isto numa altura em que a violência tomou conta de algumas cidades onde as pessoas saíram à rua contra a eleição do seu sucessor.

Numa altura em que a divisão política é evidente nos Estados Unidos, também a divisão social se está a agravar com os protestos anti-Trump nas ruas. E é neste contexto que Barack Obama apela à reconciliação de todos os norte-americanos.

No seu discurso semanal difundido pela Casa Branca, e numa mensagem destinada a honrar os veteranos de guerra, para assinalar a efeméride, Obama apontou os ex-combatentes como um exemplo da união perante as divisões que por vezes estalam na política do país.

“Este fim de semana, enquanto procuramos forma de resolver as nossas diferenças, atentemos aos princípios mais importantes do que política”, declarou, precisamente um dia depois do Dia dos Veteranos.

Obama aproveitou, assim, para pedir aos norte-americanos que “amem os seus vizinhos como a eles mesmo”.

Depois de Donald J. Trump ter sido eleito 45º Presidente dos Estados Unidos, milhares de pessoas têm protestado nas ruas. O republicano teve menos votos do que Hillary Clinton, mas pelo sistema de representatividade norte-americano foi ele quem venceu as eleições.

Portland, no estado do Oregon, foi dos casos mais críticos em termos de manifestações. A violência tomou conta da cidade. Houve este sábado um tiroteio na ponte Morrison, uma pessoa foi baleada e o suspeito fugiu.

Entretanto, Donald Trump já fez as primeiras cedências e admite, por exemplo, manter o plano de sáude Obamacare, quando até aqui vinha ameaçando rasgá-lo. Apesar de voltar atrás nas suas promessas, isso não está a acalmar os protestos. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA