Músico Dalau Ucha, guitarrista do Grupo Issabary vai a enterrar hoje em Bissau

Dalau Ucha, um guitarrista e compositor de mão cheia. (Foto: D.R.)

Foi com enorme consternação que tomamos conhecimento do falecimento do grande guitarrista guineense Dalau Ucha, do grupo Issabary, há cinco dias atrás. Hoje, Bissau presta-lhe a última homenagem, numa cerimónia fúnebre, que se prevê muito concorrida pelos seus admiradores e amigos.

Ladislau Ucha, guitarrista de vários predicados rítmicos, era um senhor em palco, quando convidado a exibir os seus dotes artísticos. A sua guitarra extraía sons vocálicos, mercê de uma técnica apurada de execução muito apreciada, que o tornavam num músico bastante solicitado, quer em gravações, quer em shows.

No grupo Issabary, que invadiu as grandes plateias portuguesas nos anos 80, Dalau Ucha transmitiu toda a sua experiência, tornando-se num elemento fundamental da banda musical, que assinava pela editora portuguesa, Valentim de Carvalho, detendo a hegemonia em tudo quanto fosse música africana, durante alguns anos.

Foi a época de ouro de um conjunto de jovens que desembarcam em Portugal, entre eles, os irmãos Delgado, trazendo na bagagem, uma cultura genuinamente africana, com propensão modernista e propostas de vanguarda. O gumbe, o estilo emblemático de Bissau tinha em Dalau Ucha, um excelente executante, facto que o colocava como um dos mais fiéis cultores da música guineense.

Como pessoa, Dalau Ucha era extraordinário, na simpatia, na solidariedade e na amizade. Partilhava o seu modus vivendi com outros africanos, sem se importar com a sua origem, como se África não tivesse fronteiras…

Na hora da aflição foram alguns dos mais íntimos amigos que atenderam a um derradeiro pedido, para que os seus restos mortais fossem transladados de Dakar, onde pereceu, para Bissau, onde será hoje sepultado.

O Portal de Angola falou ontem à noite com o conhecido músico guineense, Tony Dudu (http://www.tonydudu.co.uk/), residente em Londres, para apurar as causas da morte, ficando a saber unicamente, que o funeral seria hoje em Bissau. O amigo e companheiro de estrada do músico falecido lamentou a indiferença dos governos africanos, no que toca ao apoio, aos seus concidadãos, sobretudo em casos como este.

Regressado de Portugal, Dalau Ucha vivia em Bissau, tendo ingressado na Rádio onde viveu até aos últimos dias.

Deixou um exemplo de vida que todos recordaremos com eterna saudade. Paz à sua alma! (Portal de Angola)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA