Ministro acusa Presidente do Brasil de tentar corrompê-lo

Michel Temer toma posse como Presidente do Brasil (Tvi24)

Michel Temer, que substituiu a destituída Dilma Rousseff, é suspeito de pressionar Marcelo Calero a autorizar a construção de apartamentos de luxo numa zona histórica de Salvador

O Presidente brasileiro, que há seis meses substituiu a destituída Dilma Rousseff, é suspeito de pressionar o seu ministro da Cultura, Marcelo Calero, que se demitiu na sexta-feira passada, a autorizar a construção de apartamentos de luxo numa zona histórica de Salvador.

Michel Temer nega a acusação, mas admite ter discutido o assunto com Marcelo Calero, que vetara os planos.

Depois de fazer da luta contra a corrupção uma das suas bandeiras, em seis meses de governação (os primeiros três como presidente interino), cuja legitimidade é ainda questionada por muitos, Temer perdeu já três ministros, dois deles por suspeitas de práticas ilícitas.

Marcelo Calero apresentou a demissão a 18 de novembro por divergências com outros membros do executivo de Temer, como o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira de Lima, a par de Temer um dos envolvidos nesta mais recente acusação de corrupção, depois de comprar uma propriedade em Salvador.

O Governo garante que se trata de um mal-entendido, porque a conversa de Temer com Calero (e também de Vieira de Lima) não foi no sentido de pressioná-lo a viabilizar a construção de luxo numa zona histórica, mas o ex-ministro da Cultura disse à polícia que foi pressionado por ambos a recuar na decisão.

A oposição questiona o interesse do Presidente num assunto pessoal e já pede a demissão de Michel Temer, bem como do ministro-chefe. (Tvi24)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA