Medo de vazamentos levou FBI a anunciar análise de novos e-mails ligados a Hillary, dizem fontes

Comey em audiência no Congresso em Washington. 14/7/2016. (REUTERS/Jonathan Ernst)

O director do FBI, James Comey, foi movido em parte por temores de vazamento dentro da sua agência quando decidiu dizer ao Congresso que o FBI estava investigando e-mails recentemente descobertos relacionados com Hillary Clinton, disseram fontes das forças de segurança nesta quinta-feira.

O exame do movimento de e-mails está sendo feito agora sob o maior dos sigilos por uma equipe da sede do FBI em Washington, afirmaram as fontes, pedindo anonimato por conta da sensibilidade da investigação.

Várias fontes declararam que não estava claro se o FBI faria alguma nova revelação sobre essa mais recente análise antes das eleições de terça-feira. Duas fontes afirmaram que tais anúncios eram improváveis.

Uma outra fonte, que teve contacto recente com importantes investigadores, disse: “Isso depende de como a análise prossegue e do que eles encontram”. A fonte afirmou que, até esta quinta-feira, “ninguém realmente sabia” se o FBI teria algo mais a dizer antes do pleito.

O anúncio de Comey na sexta-feira passada numa carta a parlamentares a poucos dias das eleições caiu como uma bomba na campanha presidencial norte-americana, levantou questionamentos sobre os motivos do director do FBI e provocou críticas relacionadas ao momento da revelação.

Comey afirmou que o FBI examinava e-mails como parte de uma investigação sobre o uso de um servidor privado por Hillary quando ela era secretária de Estado, sem descrever o conteúdo desses e-mails e quanto tempo a análise duraria. Normalmente, o FBI não faz comentários sobre inquéritos em andamento.

A mais recente investigação sobre e-mails avançava “rapidamente”, disse uma fonte familiar com a investigação.

Os novos e-mails apareceram quando investigadores examinavam dispositivos electrónicos usados pelo ex-deputado democrata Anthony Weiner. Huma Abedin, ex-mulher de Weiner, é confidente de Hillary.

Duas fontes que conhecem o escritório do FBI em Nova York, que descobriu os e-mails, disseram que um grupo de investigadores do escritório é conhecido por ser hostil a Hillary. Uma porta-voz do FBI em Nova York disse não ter conhecimento sobre o fato.

Fontes do Partido Democrata afirmaram que esse grupo era provavelmente responsável por uma recente onda de vazamentos para a imprensa sobre supostos detalhes da investigação em andamento do FBI sobre a Fundação Clinton. (Afp)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA