Marcelo Rebelo de Sousa condecorou Ferro Rodrigues

Encontro de Ferro Rodrigues com Marcelo Rebelo de Sousa. (LUSA)

Presidente da Assembleia da República diz ser “um privilégio ter sido condecorado pelo Presidente da República” com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou o Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade, de acordo com uma nota divulgada esta sexta-feira.

Na página da Presidência da República, pode ler-se que “o Presidente da República condecorou o Dr. Eduardo Ferro Rodrigues, Presidente da Assembleia da República, com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade”.

“É um privilégio ter sido condecorado pelo Presidente da República”, disse Eduardo Ferro Rodrigues à agência Lusa.

A condecoração foi entregue por Marcelo Rebelo de Sousa na quinta-feira, no Palácio de Belém, havendo uma fotografia na página da Presidência da República que testemunha o momento.

A Ordem da Liberdade destina-se a distinguir serviços relevantes prestados em defesa dos valores da Civilização, em prol da dignificação da Pessoa Humana e à causa da Liberdade.

O antigo líder do PS Ferro Rodrigues foi eleito em outubro de 2015 presidente da Assembleia da República, tendo chegado a segunda figura do Estado Português depois de ter ocupado vários cargos públicos.

Eleito deputado à Assembleia da República pela primeira vez em 1985, ministro nos Governos socialistas liderados por António Guterres entre 1995 e 2001 e secretário-geral do PS entre 2002 e 2004, Ferro Rodrigues foi entre junho de 2011 e setembro de 2014 vice-presidente da Assembleia da República.

Com a eleição de António Costa como líder socialista, em novembro de 2014, Ferro Rodrigues passou a presidir à bancada socialista.

Eduardo Luís Barreto Ferro Rodrigues nasceu em 1949 em Lisboa, é licenciado em Economia e Finanças. Adepto ferrenho do Sporting e ligado inicialmente do ponto de vista político à ala “sampaísta” do PS, colaborou de perto com o anterior Presidente da República, Jorge Sampaio, quando este desempenhou as funções de secretário-geral do partido.

Na sequência da demissão de António Guterres dos cargos de primeiro-ministro e de secretário-geral do PS em dezembro de 2001 Ferro Rodrigues foi eleito praticamente sem oposição interna para a liderança dos socialistas.

Um mês depois, no entanto, acabou por se demitir da liderança do PS, na sequência de uma decisão de Jorge Sampaio, quando este convidou o PSD – então liderado por Pedro Santana Lopes – a formar Governo, sem eleições, na sequência da saída de Durão Barroso do cargo de primeiro-ministro para ocupar a presidência da Comissão Europeia.

Depois de deixar a liderança do PS, Ferro Rodrigues assumiu em 2005 funções de representante permanente de Portugal junto da OCDE, em Paris, cargo que deixou em abril de 2011, para integrar a lista de deputados do PS.

Casado e com dois filhos, Ferro Rodrigues foi membro cofundador do Movimento da Esquerda Socialista (MES) e inscreveu-se no PS em 1986, depois de seis anos a integrar o movimento “Nova Esquerda”, que apoiava criticamente os socialistas. (Tvi24)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA