Mais de duzentos angolanos interagem em Brasília com embaixador

Vista parcial da cidade de Brasília (Foto: Pedro Parente)

Brasília – Mais de duas centenas de cidadãos angolanos juntaram-se em Brasília, no 5º Encontro Anual da Comunidade no Brasil, no quadro das comemorações alusivas ao 41º aniversário da independência nacional.

De acordo com fonte diplomática, o evento, decorrido no fim-de-semana, permitiu aos presentes apresentar ao embaixador angolano, Nelson Cosme, as suas preocupações, tendo a dificuldade de remessas financeiras para os estudantes e a colocação laboral pós-formação sido as de maior relevância.

Os participantes na sua maioria estudantes mostraram-se favoráveis à criação da Associação Nacional dos Estudantes Angolanos no Brasil, agregando representantes das várias associações, de forma que exista um interlocutor único no diálogo com as autoridades diplomáticas e consulares e com o Sector de Apoio aos Estudantes do INAGBE (Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo).

Vários estudantes levaram à capital brasileira projectos de inovação nas áreas das tecnologias, Engenharia e Hidráulica, este último um estudo comparativo na área da macrodrenagem entre Benguela (Angola) e Santos (Brasil) e partilharam experiências sobre a integração dos angolanos nos programas de pós-graduação de universidades brasileiras e a convivência académica e social da Comunidade Angolana na cidade de Lins.

A Comunidade Angolana louvou a iniciativa do encontro, realizado na capital brasileira, e solicitou a embaixada a prosseguir com outros, particularmente com a comunidade em lugares mais recônditos.

Na ocasião, o embaixador Nelson Cosme afirmou que as relações com o Brasil são de Estado, com vantagens recíprocas, acrescentando que tem sentido que as autoridades brasileiras as mantêm no quadro do princípio da continuidade do Estado.

O diplomata destacou os êxitos alcançados em Angola com a independência nacional, mormente os projectos estruturantes em curso no sector de energia, como o alteamento da barragem de Cambambe, a conclusão do Ciclo Combinado do Soyo e a conclusão da barragem hidro-elétrica de Lauca, como factores que vão alavancar a produção nacional e melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

Aproveitou o momento para prestar uma informação sobre as medidas adoptadas pelo Executivo angolano para minimizar os efeitos decorrentes da baixa do preço do petróleo na economia nacional, falou das próximas eleições gerais e também da postura que o cidadão angolano deve adoptar no Brasil.

“No país que vos acolhe, cada um deve sentir-se representante e defensor dos valores morais e cívicos, da cultura e dos interesses do povo angolano, pautando-se por uma conduta digna e exemplar”, ressaltou Nelson Cosme.

De acordo com a fonte, a Comunidade Angolana no Brasil é estimada em vinte mil pessoas, enquanto nas instituições de ensino superior brasileiras estão matriculados mais de dois mil estudantes angolanos, em cursos de graduação e pós-graduação. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA