Lunda Sul: Governo cria projecto de recolha de crianças de rua

Maria Segunda - Directora provincial do Minars (Foto: Quintas Benjamim)

O governo da província da Lunda Sul, através da direcção da Assistência e Reinserção Social (Minars), criou um projecto denominado “Resgate de crianças de rua”, que visa a recolha e reintegração dos petizes as respectivas famílias.

Este facto foi dado a conhecer hoje, quinta-feira, em Saurimo, pela directora provincial da Assistência e Reinserção Social na Lunda Sul, Maria Segunda, quando intervinha na cerimónia de abertura do primeiro encontro regional para contenção do movimento desordenado das crianças no corredor leste de Angola, que está ser promovido pelo governo local.

Disse que para dar vida ao projecto, foi criado uma sala de aulas, um dormitório e uma cozinha na direcção provincial do Minars, com vista a acomodação provisória para os petizes que são retirados da rua, enquanto decorrer o processo de identificação das famílias para reintegração dos mesmos.

Explicou que o projecto envolve também algumas instituições do sector social para em conjunto encontrar formas de combater este fenómeno que tem adiado sonho de muitas crianças, aquelas no futuro podem assegurar e dar continuidade aos destinos do país.

Informou que desde 2005, a cidade de Saurimo começou a registar elevado índice de movimento desordenado de crianças nas ruas, na sua maioria menores dos 17 anos de idade, algumas delas vindas das províncias do Moxico, Malanje e Lunda Norte, facto que obrigou o governo local, através do Minars, gizar politicas e programas que visam o combate do fenómeno.

Maria Segunda fez saber que o dia-a-dia dos petizes é marcado de práticas de actos delituosos, nomeadamente assaltos, roubos, furtos a pessoas, residências e lojas, dia a necessidade do envolvimento de todas as forças vivas para se combater este fenómeno que se tem alastrado, como consequência da desestruturação familiar, falta de diálogo nos lares e de acompanhamento cerrado dos pais.

Por outro lado, a responsável informou que através do programa de localização e reunificação familiar, o seu sector reunificou cerca de 512 crianças nas províncias da Lunda Norte, Malanje, Moxico e no município de Saurimo.

Segundo ela, os familiares que assinam os termos de reunificação destes menores, nunca são na sua maioria pais biológicos, normalmente, alegam ser tios, avo ou irmãos, o que tem condicionado a responsabilização dos mesmos por não serem progenitores dos mesmos.

Durante o encontro que está ser orientado pela governadora da província da Lunda Sul, Cândida Narciso, os participantes abordam questões como aspectos social, histórico, cultural e afectivo dos adolescentes, convivência familiar, problemas de conflitos, possíveis causas e estratégias, comportamento, actitude e valores das crianças na sociedade tolerante.

Os participantes vão ainda abordar questões relacionados a factores de risco, protecção aos adolescentes em situação de vulnerabilidade, medidas preventivas, medidas para reduzir condutas inadequadas das famílias contra esta franja da sociedade, experiência precoce de punição, apadrinhamento afectivo, entre outros. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA