Liberdade de expressão constitui ganho da independência

Líder da Igreja Teosofica Espirita Suzete João (Foto: Miudo)

A liberdade de expressão, e por consequência a expansão do evangelho por todo o território nacional, bem como a execução de projectos sociais constituem os maiores ganhos da igreja aos longo dos 41 anos de independência nacional.

Este pronunciamento é da líder espiritual da Igreja Teosófica Espírita, Profetisa Suzete João, em declarações hoje (quinta-feira) à imprensa, em alusão ao 41º aniversário da independência nacional que se assinala a 11 de Novembro.

“Hoje a igreja é parceira privilegiada do Estado angolano, podendo dar as suas opiniões sobre os diversos projectos sociais em curso no país, assim como tem contribuído para a melhoria do bem-estar dos cidadãos”, referiu.

De acordo com Suzete João, antes da proclamação da independência nacional, a igreja não tinha espaço para divulgar o evangelho na sua plenitude, facto apenas conseguido depois de 11 de Novembro.

Referiu que, ao longo deste tempo, a igreja tem igualmente contribuído para a libertação das mentes, levando a cabo acções de evangelização aliadas aos projectos sociais.

Suzete João disse ainda que, nos últimos 41 anos, Angola viveu dois períodos distintos, sendo o primeiro marcado pelo conflito armado em que a igreja não teve a possibilidade de desenvolver os seus projectos e o segundo pelo alcance da paz.

Salientou que após a conquista da paz, em 2002, a igreja teve um grande impulso na realização dos seus projectos, uma vez que se recuperaram as infra-estruturas que permitem a livre circulação de pessoas e bens.

“Com o alcance da paz, a igreja teve a possibilidade de implementar os seus projectos tanto os ligados a divulgação do evangelho, bem como das acções sociais as quais tem contribuído para a melhoria do nível de vida dos cidadãos angolanos”, referiu. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA