Huambo: Instituições de ensino superior ilegais serão encerradas

Adão do Nascimento - Ministro do Ensino Superior (Foto: Alberto Julião)

O ministro do Ensino Superior, Adão do Nascimento, anunciou quinta-feira, no Huambo, o encerramento das instituições ilegais durante os próximos cinco anos, por constituírem ameaça para a qualidade do processo de ensino e aprendizagem.

O ministro fez estas declarações quando falava sobre “Os indicadores para a promoção da qualidade no subsistema de ensino superior”, inserido nas III jornadas científicas do Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED), que decorre até hoje (sexta-feira), sob o lema “Cultura institucional – garantia para qualidade de ensino na formação de professores”.

Para o efeito, Adão do Nascimento solicitou o envolvimento da comunidade académica nas acções tendentes ao combate ao ensino ilegal no país, quer em termos de instituições, quer em termos de cursos, no sentido de se atingir zero porcento, de acordo com a meta estabelecida.

Por outro lado, o ministro do Ensino do Ensino Superior instou os professores a aprofundar a agregação pedagógica para a elevação da qualidade de ensino e aprendizagem, uma vez que a universidade deve reafirmar-se como um factor de desenvolvimento, tendo em conta a sua pertinência e eficácia no domínio da educação, investigação científica e extensão universitária.

Assim, prosseguiu, pretende-se para os próximos cinco anos a obtenção de 100 professores nacionais com agregação pedagógica, formados em Ciências da Educação, 100 em Artes, Letras, Ciências Sociais e Humanas, 150 em Tecnologias e Engenharias e igual número de Ciências da Saúde, Médicas e Tecnologias da Saúde, nos graus académicos de doutores e mestres.

Adão do Nascimento disse que o ministério do Ensino Superior perspectiva igualmente atingir 15 porcento de doutores em regime de tempo integral de exclusividade em cada curso de licenciatura, 25 com grau de mestre e 30 porcento com grau de licenciatura, tendo em atenção a formação de quadros competentes e com a qualidade necessária.

Informou que as instituições de ensino superior devem ter ainda, entre outros requisitos, recursos materiais, taxa mínima de promoção de cada curso de licenciatura, mestrado e doutoramento, na medida em que o conceito qualidade traduz-se em critérios, requisitos e procedimentos de rigor, que, por sua vez, deve nortear o diagnóstico e a implementação de qualquer projecto de desenvolvimento universitário.

No evento, estão igualmente a ser abordados temas como “ O processos de inovação em educação como garantia da qualidade no ensino “, “Educação ambiental face aos desafios do desenvolvimento sustentável em tempo de crise”, “formação inicial e permanente de professores” , “Abordagem psicopedagógica e metodológica sobre o processo de ensino e aprendizagem”, entre outros. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA