Huambo: Iniciou julgamento de cidadãos acusados de matarem comandante da polícia

Huambo: MOMENTO DO JULGAMENTO (Foto: Frank Beu)

O Tribunal Provincial do Huambo iniciou quarta-feira o julgamento de cinco cidadão acusados da morte, em Janeiro último, do comandante comunal da Polícia da Chilata, município do Longonjo, 127 quilómetros da cidade do Huambo.

Os acusados, com idades entre 33 aos 46 anos, são designados arguidos do processo de querela em que são arrolados os incidentes ocorridos na sede da comuna de Chilata, tendo causado a morte, por espancamento, do inspector Dias Luciano, então comandante comunal da Polícia, e de um outro cidadão.

A leitura das acusações pelo Ministério Público confirma que os co-arguidos são culpados na prática de crimes de homicídios qualificados sobre forma frustrada, homicídios qualificado sobre a forma consumada, de danos materiais e de resistências, previstos e puníveis pelo Código Penal e legislação avulsa vigente.

No despacho de acusação, o Ministério Público do Huambo refere que as mortes ocorreram essencialmente por agressões com arma de fogo e branca, motivado, inicialmente, pelo desentendimento entre o cidadão falecido e os acusados, o que motivou o comandante, na qualidade de agente da ordem, a intervir para apaziguar, não tendo sido também poupado.

Na ocasião foram ouvidos os réus, Adriano Jorge Bacholo, Abílio Pena e Fernando Sebastião Cachinungu, acusados dos crimes de homicídio voluntário, e Gervásio Manuel Canjongo e Lázaro Sakuyaka Lumingo, acusados de crimes de homicídio qualificado e ofensas corporais voluntárias.

O julgamento está ser conduzido pelo juiz presidente do Tribunal Provincial do Huambo, Victor Assuíla. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA