Governador do BNA reafirma combate ao branqueamento de capitais

Governador do BNA trabalha em Roma (arq.) (Foto: Cedida)

O governador do Banco Nacional de Angola (BNA), Valter Filipe da Silva, reafirmou, segunda-feira, em Roma, a determinação do Estado angolano de combater e superar “o branqueamento de capitais”.

O responsável do banco central de Angola, que iniciou segunda-feira uma visita de trabalho a Itália, fez este pronunciamento durante um encontro com empresários italianos que operam em Angola, na sede da Agência para a Promoção no Exterior e a Internacionalização das Empresas Italianas (ICE).

O governador do BNA disse que o Estado está igualmente determinado em estancar a fuga de divisas e impor ética no sistema financeiro do país.

Valter Filipe da Silva explicou, por outro lado, aos investidores italianos que com a queda do preço do petróleo, o BNA teve que trabalhar na melhoria do sistema financeiro, política monetária e protecção das divisas, afim de evitar-se uma crise cambial.

Considerando “a Itália um país estratégico para a economia angolana devido ao seu modelo baseado na pequena e média empresa”, convidou os italianos a investirem em Angola, particularmente no sector agro-pecuário.

A deslocação do governador do BNA enquadra-se no reforço da cooperação com o banco central da Itália, nomeadamente na prevenção e combate ao branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo.

A visita tem também o objectivo de fortalecer as relações com os bancos correspondentes para a criação de condições e facilidades de entrada de liquidez, através de operações de financiamento aos bancos comerciais e as empresas angolanas.

O programa da visita prevê um encontro o governador da Banca Italia, Ignazio Visco, e com o delegado do Banco Unicredit, Guido Munzi. A Unicredit é o segundo maior banco privado italiano.

Quarta-feira, último dia da visita a Itália, o governador do BNA tem agendado um encontro com o administrador delegado da Agência Italiana de Crédito à Exportação (SACE, Servizi Assicurativi del Commercio Estero, na língua italiana), Alessandro Decio. A SACE, fundada em 1977, como entidade pública sob o controlo do Ministério da Economia e Finanças (MEF), é uma sociedade por acções no mercado de seguros de crédito a curto prazo.

No mesmo dia vai encontrar-se com o delegado do Banco Intesa San Paolo, o mais importante banco privado italiano.

A Itália foi o primeiro país da Europa Ocidental a reconhecer a independência de Angola, no dia 18 de Fevereiro de 1976, e a 4 de Junho, do mesmo ano, estabeleceram-se as relações diplomáticas.

As relações de cooperação existentes entre os dois países tiveram o seu início em Agosto de 1977, com a assinatura de um memorando que instituiu a Comissão Bilateral, então Comissão Mista de Cooperação, ao que se seguiram a subscrição de uma dezena de instrumentos jurídicos, nos domínios económicos, técnico, cultural e científico. (Angop)

DEIXE UMA RESPOSTA