Governador de Luanda afirma que apoio de Fidel permitiu que Angola se tornasse independente

Governador de Luanda, Higino Carneiro, quando falava à imprensa após assinar livro de condolência (Foto: Alberto Julião)

O governador da província de Luanda, Higino Carneiro, afirmou que as decisões sábias tomadas, na época, pelo presidente António Agostinho Neto apoiado por Fidel Castro permitiram que Angola se tornasse livre e independente e hoje vivesse em paz e em democracia.

Higino Carneiro prestou estas declarações hoje, terça-feira, à imprensa depois de assinar o livro de condolências aberto na residência oficial de Cuba, em memória ao líder da revolução cubana, falecido aos 90 anos, em Havana (Cuba), por doença, na sexta-feira.

“Com falecimento de Fidel, Angola perde um amigo, uma pessoas que não há palavras para definir , mas sentimos nas homenagens que ocorrem em Angola e pelo mundo afora quão amigo, quão camarada e importante era para os outros povos e para Angola”, referiu.

Foi com ele e com as decisões sábias tomadas, na época, pelo presidente Neto, segundo o dirigente, que permitiu que Angola se tornasse livre e independente e hoje vivesse uma era de paz e também de democracia.

De acordo com Higino Carneiro, o sentimento é de que uma lenda do século 20 se foi, mas de qualquer forma há ensinamentos que devem ser retidos e permitir que sejam utilizados, transmitindo às novas gerações.

Considerado pai da revolução comunista cubana, Fidel Castro Ruz morreu aos 90 anos de idade, esta sexta-feira, a noite, 25 de Novembro, vítima de doença.

Fidel Alejandro Castro Ruz nasceu a 13 de Agosto de 1926, em Birán, Cuba, e foi presidente de Cuba de 1959 a 2006, tendo deixado o poder ao seu irmão, Raúl Castro Ruz.

Autores do slogan “Hasta la vitória siempre”, os restos mortais do malogrado vão a enterrar a 4 de Dezembro próximo, em Santiago de Cuba. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA