França recorda vítimas dos atentados de 13 de Novembro

(REUTERS/Gonzalo Fuentes)

Foi há precisamente 1 ano, Paris e S. Denis, eram atacados, a 13 de Novembro, por terroristas jiadistas, matando barbaramente, 130 pessoas e ferindo centenas de outras pessoas.

Um ano depois dos bárbaros atentados terroristas de 13 de Novembro de 2015, a França, rendeu homenagem, este domingo, 13 de Novembro de 2016, às vítimas de Paris e S.Denis, arredores da capital francesa. Atentados que fizeram 130 mortos e centenas de feridos.

O Presidente da França, François Hollande e a presidente da câmara municipal de Paris, Anne Hidalgo, começaram as cerimónias, este domingo, no estádio da França, em S. Denis, colocando uma placa comemorativa em homenagem à primeira vítima do comando terrorista.

De seguida, o Chefe de estado e a presidente da câmara municipal de Paris, deslocaram-se aos 4 bares e restaurantes dos bairros X e XI da capital francesa e frente ao café-sala de concertos Bataclan, prestaram homenagem, às vítimas, sob um dispositivo de alta segurança.

Cerimónias sóbrias, na presença de familiares das 130 pessoas mortas e de centenas de feridos e associações de apoio, ministros e forças vivas.

Descerradas as placas com os nomes de todas as vítimas, por ordem alfabética, o Presidente francês, François Hollande, saudou os familiares dos 130 mortos e feridos, mas, para respeitar a sobriedade desejada pelas famílias, não pronunciou qualquer discurso oficial.

A 6 meses de eleições presidenciais em França, as famílias das vítimas temem que haja recuperação política, pelo que aceitaram que houvesse cerimónias de descerramento de placas comemorativas, mas sem discursos por parte das autoridades oficiais francesas.

Recorda-se que ontem à noite, 12 de Novembro, a mesma sala de concertos de Bataclan, foi palco, de um grande concerto musical, cuja cabeça de cartaz, foi o músico e compositor, britânico, Sting, que antes de começar o show, pediu um minuto de silêncio, em memória das vítimas, em especial dos 90 mortos do dito café-sala de concertos, de um total de 130 mortos nas várias localidades referidas de Paris e S. Denis.

Cerca de 1.500 pessoas assistiram ao concerto de Sting e de outros músicos, concerto, em memória dos 130 mortos e centenas de feridos, levados a cabo a 13 de Novembro foi há precisamente 1 ano, Paris e S. Denis, eram atacados, a 13 de Novembro, por terroristas jiadistas, matando barbaramente, 130 pessoas e ferindo centenas de outras pessoas.

Um ano depois dos bárbaros atentados terroristas de 13 de Novembro de 2015, a França, rendeu homenagem, este domingo, 13 de Novembro de 2016, às vítimas de Paris e S.Denis, arredores da capital francesa. Atentados que fizeram 130 mortos e centenas de feridos.

O Presidente da França, François Hollande e a presidente da câmara municipal de Paris, Anne Hidalgo, começaram as cerimónias, este domingo, no estádio da França, em S. Denis, colocando uma placa comemorativa em homenagem à primeira vítima do comando terrorista.

De seguida, o Chefe de estado e a presidente da câmara municipal de Paris, deslocaram-se aos 4 bares e restaurantes dos bairros X e XI da capital francesa e frente ao café-sala de concertos Bataclan, prestaram homenagem, às vítimas, sob um dispositivo de alta segurança.

Cerimónias sóbrias, na presença de familiares das 130 pessoas mortas e de centenas de feridos e associações de apoio, ministros e forças vivas.

Descerradas as placas com os nomes de todas as vítimas, por ordem alfabética, o Presidente francês, François Hollande, saudou os familiares dos 130 mortos e feridos, mas, para respeitar a sobriedade desejada pelas famílias, não pronunciou qualquer discurso oficial.

A 6 meses de eleições presidenciais em França, as famílias das vítimas temem que haja recuperação política, pelo que aceitaram que houvesse cerimónias de descerramento de placas comemorativas, mas sem discursos por parte das autoridades oficiais francesas.

Recorda-se que ontem à noite, 12 de Novembro, a mesma sala de concertos de Bataclan, foi palco, de um grande concerto musical, cuja cabeça de cartaz, foi o músico e compositor, britânico, Sting, que antes de começar o show, pediu um minuto de silêncio, em memória das vítimas, em especial dos 90 mortos do dito café-sala de concertos, de um total de 130 mortos nas várias localidades referidas de Paris e S. Denis.

Cerca de 1.500 pessoas assistiram ao concerto de Sting e de outros músicos, concerto, em memória dos 130 mortos e centenas de feridos, levados a cabo a 13 de novembro de 2015, por terroristas do chamado estado islâmico, Daesh ou ISIS. de 2015, por terroristas do chamado estado islâmico, Daesh ou ISIS. (Rfi)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA