França frustra novo atentado e prende sete

(Afp)

A polícia francesa frustrou “um novo atentado” com a prisão de sete pessoas em Estrasburgo (nordeste) e Marselha (sudeste), anunciou nesta segunda-feira o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve.

Sete pessoas, com idades entre 29 e 37 anos, de nacionalidade francesa, marroquina e afegã, foram detidas durante esta operação antiterrorista realizada na noite de sábado depois de uma investigação de “mais de oito meses”, detalhou o ministro.

Seis dos suspeitos não eram conhecidos dos serviços de inteligência e o sétimo, um marroquino, era visado por outro país.

Esta operação de vários meses permitiu “frustrar uma acção terrorista planeada há muito tempo em nosso território”, assinalou o ministro do Interior.

A polícia prendeu cinco pessoas vinculadas a esta mesma rede em 14 de Junho de 2016, alguns dias antes do início da Eurocopa de futebol, enfatizou o ministro.

A investigação, em mãos do procurador de Paris, deverá “determinar os respectivos papéis das pessoas detidas e estabelecer se o atentado frustrado seria um ataque coordenado simultâneo contra vários lugares do território”, declarou Cazeneuve.

– Ataques coordenados –

Cazeneuve não informou os lugares que seriam alvos dos ataques coordenados pela rede e desbaratados uma semana da abertura, na sexta-feira, do famoso mercado natalino de Estrasburgo (nordeste), que todos os anos atrai cerca de dois milhões de pessoas.

No entanto, o prefeito de Estrasburgo, Roland Ries, declarou nesta segunda, na colectiva de imprensa, que sua cidade não era alvo da rede, “O objectivo era a região parisiense”, afirmou.

“Nunca antes a ameaça terrorista foi tão elevada em nosso território”, enfatizou Cazeneuve.

“Ninguém pode garantir o risco zero de atentados e os que garantem mentem aos franceses”, acrescentou.

Apenas em 2016, a polícia francesa frustrou cerca de vinte atentados e projectos de atentados no território, segundo uma fonte próxima à investigação.

No início de Setembro, a polícia desbaratou um projecto de atentado logo depois de descobrir em um carro abandonado de mulheres que haviam jurado lealdade ao grupo Estado Islâmico (EI).

Desde o início do ano, a polícia antiterrorista prendeu na França 418 pessoas vinculadas a redes extremistas, acrescentou o ministro.

A França enfrenta uma ameaça extremista sem precedentes. Em Novembro de 2015, 130 pessoas morreram em atentados coordenados em Paris e em Julho de 2016, 86 perderam a vida de um ataque em Nice, na Côte d’Azur francesa.

Desde início do ano, 418 pessoas vinculadas a redes terroristas foram presas na França, acrescentou o ministro. (Afp)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA