Finanças Locais e desenvolvimento dominam fórum dos municípios e cidades

Nova Marginal de Luanda (Foto: Pedro Parente)

As finanças locais e desenvolvimento económico local, dominam desde a manhã de hoje, terça-feira, o IV Fórum dos Municípios e Cidades de Angola, a decorrer até quarta-feira.

A cerimónia de abertura do fórum foi orientada pelo Vice-presidente da República, Manuel Domingos Vicente.

O certame é uma organização do Ministério de Administração do Território, que congrega ministros, governadores provinciais, administradores municipais e convidados nacionais e estrangeiros.

O evento tem como objectivos promover e dinamizar o desenvolvimento comunitário de Angola, com o envolvimento activo de todos órgãos públicos e privados, apresentando as suas oportunidades de negócios de forma a estimular a captação de investimento privado.

O conclave visa igualmente o estabelecimento de parcerias estratégicas e contribuir para o fomento de desenvolvimento socioeconómico de Angola.

Durante os dois dias, as discussões vão decorrer em painéis, nomeadamente, “as finanças locais como factor de desenvolvimento local” e “Receitas locais e gestão de municípios e cidades”.

O terceiro painel será essencialmente informativo, no qual serão abordadas leis e programas com incidência no desenvolvimento dos municípios e das cidades angolanas.

Estão ainda previstos debates sobre a importância da captação e formação dos gestores públicos em finanças locais, receitas locais e gestão de municípios e de cidades, modelo de gestão integrada de
municípios e cidades, entre outros.

A arrecadação de receitas locais, desafios e perspectivas, bem como a taxa de serviços de limpeza e saneamento, oportunidades e desafios constam do leque de painéis a serem apresentados no certame.

No evento serão igualmente aflorados temas como o programa municipal integrado e desenvolvimento rural e combate a pobreza, o processo de Registo eleitoral, objectivos e estratégias.

O turismo na diversificação da economia, turismo interno plano operativo do turismo 2016-2017 e a experiência de províncias como as do Zaire e Benguela e o envolvimento das autoridades tradicionais no desenvolvimento local estarão em evidência no fórum. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA