França: Fillon e Juppé defrontam-se na segunda volta das primárias de centro-direita

(Reuters)

François Fillon e Alain Juppé, do UMP, vão defrontar-se no próximo domingo, 27 de Novembro, na segunda volta das eleições primárias de centro-direita destinadas a escolher o candidato às presidenciais.

À 01:11 de Lisboa, com 9.491 assembleias de voto, de um total de 10.229, François Fillon liderava claramente, com 44,2%, a primeira volta das primárias destinadas a escolher o candidato que representará a centro-direita nas presidenciais do próximo ano.

Em segundo lugar surgia o presidente da câmara de Bordéus e também antigo primeiro-ministro, Alain Juppé, com 28,4% dos votos, sendo já certo que serão Fillon e Juppé que irão ao duelo do próximo domingo.

Em terceiro lugar, e afastado assim da segunda volta, estava o ex-presidente Nicolas Sarkozy, com 20,6%, segundo os resultados avançados pelo Europe1.

Ao início da noite, Sarkozy tinha já reconhecido a derrota e anunciado a sua retirada da vida política, tendo também indicado que irá apoiar Fillon. “Tenho grande estima por Alain Juppé, mas sinto-me mais próximo das escolhas políticas de François Fillon”, afirmou o ex-chefe de Estado, citado pela Reuters.

Assim, explicou Sarkozy, “votarei nele [Fillon] na segunda volta das eleições primárias”. François Fillon, recorde-se, foi primeiro-ministro no mandato presidencial de 2007-2012 de Sarkozy.

No próximo dia 27 de Novembro disputa-se então a segunda volta das primárias, com os eleitores da direita e do centro a terem de escolher entre Fillon e Juppé, pelo UMP.

Na noite deste domingo, uma sondagem da Opinionway dava Fillon como vencedor na segunda volta: 56% dos franceses que votaram na primeira volta indicaram que será nele que recairá a sua escolha.

As mais recentes sondagens apontam para que, face à divisão da esquerda, seja a direita a assumir de novo o poder nas próximas eleições. A grande questão será quem, na direita, levará a melhor: o UMP ou a Frente Nacional de Marine Le Pen?

O Eurasia Group diz que a candidata da extrema direita está à frente nas probabilidades de vitória das presidenciais. E se as disputar com Fillon, a sua probabilidade de vencer é de 35%, ao passo que se Juppé for o seu adversário as hipóteses descem para 25%. (Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA