Filipinas: Duterte diz que se o Estado Islâmico for ao país, direitos humanos serão ignorados

Rodrigo Duterte - Presidente das Filipinas. [Foto: Reuters]

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, alertou, hoje, 14, que militantes do grupo Estado Islâmico expulsos da Síria e Iraque poderiam se instalar no seu país e que, se isso acontecesse, ele abandonaria as obrigações com os direitos humanos para manter seu povo seguro, noticia a Reuters.

Segundo aquela agência, Duterte disse que Mindanao, província do sul filipino, já é um reduto de bandidos e de rebelião e que está preocupado com o terrorismo e com um influxo de extremistas que poderiam explorar a insegurança.

“Eles não têm nem ideia do que são direitos humanos, acreditem em mim. Não irei simplesmente permitir que o meu povo seja massacrado em nome dos direitos humanos, isso é asneira,” disse Duterte.

Natural de Mindanao, Duterte disse haver uma rebelião islâmica “muito forte” no local e que rebeldes do grupo Abu Sayyaf fazem reféns todos os dias.

Na luta para conter os extremistas, disse Duterte, o seu país trabalha com a Indonésia e Malásia.

Duterte tem sido criticado por violar os direitos humanos na luta contra os traficantes de drogas, com centenas de execuções de alegados barões sem julgamento. (Voa)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA