Falta de eficácia das políticas públicas de protecção ao idoso preocupa associação

Idosos na dança das cadeiras (Foto: Gaspar dos Santos)

A falta de eficácia na aplicação das políticas públicas do Executivo para a protecção e vivência social do idoso, tem preocupado a Associação de Amizade e Solidariedade para com a Terceira Idade (AASTI), deu a conhecer hoje, quinta-feira, nesta cidade, o director de programas, António dos Santos.

O responsável que falava no âmbito das comemorações do 30 de Novembro, referiu que as políticas públicas existem, mas há um vazio em determinados aspectos da protecção e integridade da vida do idoso, tendo em conta a ineficácia jurídica ou falta de acompanhamento e materialização das ideias, quanto os mecanismo de articulação, implementação e gestão.

“Falha-se muito na monitorização e avaliação das políticas, por isso, não se sente um impacto positivo e abrangente na melhoria da vida da pessoa idosa”, referiu.

No que se refere a questão do idoso na família, António dos Santos, fez saber que face à situação de apoio, protecção social, aspecto económico e psicológico, o idoso não é bem-vindo, uma vez que é equiparado a gastos desnecessário.

Para o director de programa da AASTI, o quadro do idoso na sociedade angolana ainda é tenebroso, mas que se espera mudanças com as aplicabilidades das políticas públicas de protecção e apoio a pessoa idosa. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA