Ex-ministro da Cultura diz que Temer o ‘enquadrou’ para falar sobre ‘irritação’ de Geddel

(Marcos Corrêa/ Vice Presidência da República;Fotos Públicas)

Em depoimento à Polícia Federal, o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero afirmou que o presidente Michel Temer o chamou ao Palácio do Planalto para conversar sobre o prédio de alto luxo cuja obra fora embargada pelo Iphan em Salvador, e no qual o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, havia comprado um apartamento.

Segundo relata o G1, Calero alega que Temer lhe disse, na ocasião, que o embargo do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, órgão vinculado ao Ministério da Cultura) havia criado “dificuldades operacionais em seu gabinete”, já que Geddel estava bastante irritado e teria pedido ao presidente que “construísse uma saída para que o processo fosse encaminhado à AGU”.

Calero também disse à PF que se sentiu decepcionado pelo fato de poder falar com mais ninguém sobre a situação em que se viu, uma vez que o próprio presidente da República o havia “enquadrado”.

Em entrevista à “Folha” no sábado (19), o ex-ministro afirmou que o motivo principal de sua saída do Ministério da Cultura havia sido a pressão que sofrera de Geddel para fazer o Iphan liberar o empreendimento imobiliário.

Segundo o porta-voz do Palácio do Planalto, Temer quis apenas mediar conflitos entre os ministros e defendeu apenas uma “saída técnica” quando pediu que o caso fosse levado à Advocacia Geral da União (AGU). (Sputnik)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA