Ex-militantes da UNITA e do PRS entram para o MPLA em Viana

MPLA (DR)

Setenta e três cidadãos residentes no distrito da Vila Flor, Bita Sul, município de Viana, em Luanda, decidiram hoje, sábado, abandonar a sua militância nos partidos Unita e de Renovação Social (PRS) e ingressar nas fileiras do Mpla, partido no poder em Angola.

Durante o acto, orientado pelo secretário para organização e mobilização do comité provincial de Luanda do Mpla, Domingos Quiosa, em representação do primeiro secretário provincial do partido, os novos militantes, após receberem os respectivos cartões, juraram fidelidade aos princípios e estatutos que orientam a acção política e social do Mpla, para a consolidação da paz e da democracia.

Numa mensagem lida pelo representante do grupo de dissidentes, Neves Mwangueia, estes afirmam terem abandonado os referidos partidos da oposição “por não se reverem mais nestes partidos que enveredam pela mentira, tribalismo e calúnia para enganar o povo”.

Por isso, confirmaram que a decisão foi tomada de forma individual, pois estão cientes de que Angola só poderá manter a estabilidade económica, social e política com o Mpla no poder.

Fundamentaram ainda que o MPLA tem um programa de governação transparente e promove o diálogo entre dirigentes e militantes, sem discriminação de nenhuma espécie.

Ernesto Paz militou na Unita durante 30 anos e justificou o seu ingresso no Mpla por este partido ter melhores programas para o bem-estar dos angolanos. Disse esperar que o Mpla continue a trabalhar para a população, como tem feito até aqui.

A cidadã Albertina Muxima esteve na Unita desde 1992 e disse estar cansada de mentiras, pelo que decidiu abandonar aquele partido. Apelou ao Mpla que continue a trabalhar em prol da população angolana que muito sofrimento já enfrentou.

Na ocasião, o primeiro secretário municipal de Viana do Mpla, Jeremias Dumbo, deu as boas vindas aos novos militantes e considerou que o gesto demonstra que o seu partido é o único em Angola que trabalha para unir todos os angolanos de Cabinda ao Cunene.

“Na medida em que as pessoas vão compreendendo a justeza dos princípios do Mpla vão aderindo ao partido, e neste processo de recrutamento de novos membros, esses 73 elementos que antes pertenciam a outras formações partidárias manifestaram o seu interesse em ingressar no Mpla, um partido de massas e de todo povo e foram aceites de braços abertos e para nós é uma honra recebê-los”, disse.

Adiantou que tem havido a manifestação de intenção de muitos elementos afectos a outros partidos aderirem ao Mpla, embora alguns ainda tenham um certo receio de sofrerem represálias por parte dessas formações políticas, mas referiu que essas pessoas têm sido encorajadas a seguirem em frente, pois esse país já não tem guerra, é democrático, e por isso cada um é livre de seguir o seu caminho.

O primeiro secretário municipal advogou que o seu partido é unificador e protege os cidadãos, pelo que tem aconselhado as pessoas a ingressarem nas suas fileiras, pois aí vão encontrar o sossego e a realização dos seus anseios.

Já o secretário para organização e mobilização do comité provincial de Luanda do Mpla, Domingos Quiosa, disse, ao encerrar a cerimónia, que o seu partido tem conhecido o ingresso massivo de militantes e que este e outros actos justificam isso.

Referiu que o seu partido conhece as dificuldades por que passam os moradores do Vila e Flor e o resto dos angolanos, pelo que tudo está a ser feito para se resolverem as inquietações da população, sob liderança do Presidente do partido e da República.

Apelou aos cidadãos a aderirem ao processo de registo eleitoral em curso no país, para no próximo ano exercerem o seu direito de cidadania, através do voto.

O município de Viana é um dos mais populosos do país, com cerca de dois milhões de habitantes e alberga o maior parque industrial de Angola. (Angop)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA